quinta-feira, 20 de setembro de 2018

Lágrimas secas


 

São lágrimas secas

No rosto espelhadas.

Correm entre sulcos

Ao peito levadas.

 

De sabor a mar,

Lágrimas salgadas

Que por entre as ondas

Correm enlutadas.

 

Com  tristeza e dor,

No vazio perdidas,

Vagueando errantes...

Lágrimas sentidas...

 

Lágrimas de sangue

Que só eu as sinto,

Pelo outono secas

Num inverno faminto

 

De luz e calor,

No frio sepulcral,

Tétrico, vazio,

Onde há tanto mal!

               «»

                          Zélia Chamusca

Sem comentários:

Enviar um comentário