terça-feira, 12 de junho de 2018

Não me ames; foge de mim!

 

 
Não me ames,

Foge de mim!

Porque os que amo

Chegam ao fim…

 

Não me ames,

Foge de mim!

Foge depressa!

A vida é assim…

 

Não me ames,

Ouve o clarim!

Em canto fúnebre,

Trompa em marfim…

 

Eu amo-te!

E, vais partir…

Afasta-te

Que vais sentir

 

Próximo o fim.

Foge, foge,

Foge depressa!

Foge de mim!
                                         «»        
                                                    Zélia Chamusca

2 comentários:

  1. Boa tarde!
    Encontrei agora mesmo esta maravilha que é seu cantinho poético, meus parabéns!
    Passando pelo blog do amigo Jaime Portela, tive curiosidade em passar por aqui... estou a segui-la espero que não se importe!!! Felicidades para si!...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá, Josélia Micael, é um prazer tê-la como leitora e apreciar o que escrevo.
      É para vós, leitores, que o faço e porque gosto do que faço.
      Também para si, desejo que se sinta feliz.
      Grata,
      ZCH

      Eliminar