sábado, 26 de maio de 2018

Fenómeno/Numinoso

     


 

 
 
Uma força misteriosa

desceu sobre mim,

a luz se apagou

e me clarificou.

 

Assim,

penso e repenso

no que só a minha alma compreende,

o fenómeno misterioso

que se funde no real numinoso

que brota do pensamento

neste momento.

 

É fenómeno revelado,

pela minha mente observado.

E, tal conhecimento

confunde-me neste estado

que em mim calo,

não falo…

 

Só o poder da alma

na sua imortalidade

entende e conhece,

e faz-me saber e ver

o poder sobrenatural

do “Nous” racional

e imortal.

             «»

              Zélia Chamusca

                   2012-01-08

 

 

sexta-feira, 25 de maio de 2018

Uma Luz surgia...


                                           
 

Lindo sonho eu via,

Sonho de encantar…

Até parecia

Noutro mundo estar!

 

Acordei um dia

E ao despertar

A luz que surgia

Fez-me acordar!

 

Pelas nuvens voei

Num não acordar…

E, até sonhei

No paraíso estar;

 

A luz que surgia

Plena de amizade

Era fantasia

E não a realidade…

 

Sempre o mesmo mal…

Afinal o que era?

A verdade, o real?

Era o mundo em guerra!…

 

Das nuvens desci,

Despertei do sonho,

E, tudo o que vi

Era tão enfadonho…

 

A fraternidade

Foi morta nas chamas

E a solidariedade

Se esvaiu nas almas…

 

Voltei a sonhar

Na reencarnação

P’ra poder voltar

A ter coração

 

E a fraternidade

Acabar com a dor

E em festividade

Celebrar o Amor!...

          «»

                  Zélia Chamusca
 
 

quinta-feira, 24 de maio de 2018

Saudade é dor que no coração sinto


 
 
 
São lancetadas de setas em gume

Que o meu coração trespassam ferindo...

Uma enorme dor no peito sentindo...

A alma sucumbe no calor do lume…

 

É tão grande a tortura permanente,

É o impossível desejar e querer...

Preferível nada mais que morrer

Na profunda dor que meu peito sente…

 

Saudade é dor que no coração sinto,

É luto e tristeza da alma fechada

Ao mundo, de amor e paz tão faminto…

 

É caminhar na escuridão perdida,

Deambulando numa tão longa estrada,

Sem luz e sem cor… Assim é a vida!...

                           «»

                               Zélia Chamusca

                                 
 

terça-feira, 15 de maio de 2018

Escravatura Laboral


 
 

 
 
 
 
 
Continua a escravatura

com salários miseráveis

pago a tanta criatura

a escravas assemelháveis!

 

São salários de miséria

os pagos à maioria;

o resto é tamanha léria,

uma perfeita  ironia!

 

Tudo querem imitar 

dos países avançados

mas, só vejo inventar

forma p’ra mais explorados!

 

Escravos  em Portugal,

vergonha do meu país,

tanto assédio laboral

e, dele nada se diz!

 

Que bom é ser europeu

onde se compara o mal…

Quem do povo se esqueceu

neste nosso Portugal?

 

Nas empresas, os gestores

ganham tantas vezes mais

e aos pobres trabalhadores

não dão um cêntimo a mais…

 

Peço a quem tem o Poder

que pense que quem trabalha

merece poder viver

a vida digna que valha!

                 «»