segunda-feira, 8 de janeiro de 2018

Este amor que no meu peito está presente…


 

Teu leve aroma a gotas de água pura,

Paco Rabanne, colónia perfumada,

No afago de um abraço de ternura

Guardei numa caixinha bem fechada.

 

Quero com ele sobrevoar os céus

E entre os anjos poder adormecer

Envolta no calor dos braços seus

Até surgir um novo alvorecer.

 

Tua ternura de pluma branca e leve

Marcou, profundamente, todo o meu ser,

Nesta passagem da vida tão breve…

 

Este amor que no meu peito está presente…

Ah! Se eu o voltasse de novo a viver

P'ra poder ficar contigo eternamente…

                            «»
Poema de - Zélia Chamusca

Fonte de imagem-Google

Sem comentários:

Enviar um comentário