sábado, 30 de dezembro de 2017

Acabou a festa deste Natal


                     




Acabou a festa

 

O peru acabou;

A roupa velha ficou.

As filhós rançaram,

Os sonhos acabaram,

O vinho azedou,

O café amargou,

O espumante perdeu vida,

A família foi esquecida

E a amizade perdida.

As velas se apagaram…

 

Acabou a festa

 

Já nada resta

Nem se manifesta.

Nada presta…

Das prendas,

(Neste aniversário de Jesus,

E, até Ele, foi morto na cruz),

É só vasculho

E o papel de embrulho

Enrugado no entulho…

 

Acabou a festa

 

Tudo é tristeza.

Tudo é frieza

Do espirito a pobreza…

Restam os pobres e oprimidos

Na rua adormecidos

Por todos esquecidos,

Dormindo ao frio,

Onde tudo é vazio,

Em farrapos enrolados

Como são tratados.

 

Farrapos da sociedade

Que brinca à caridade…

 

Que bom haver pobres

Por eles lutamos numa causa nobre…

 

Acabou a festa

 

O Menino que nasceu em Belém

Fugiu a Herodes

E  escapou

Até ao dia aprazado

Em que foi condenado

E morto crucificado.

 

 Mas, antes,

A Sua Missão cumpriu

Anunciando a Boa Nova,

Libertando os presos,

Recuperando a vista aos cegos,

Mandando os oprimidos em liberdade,

Em suma,

Deixando-nos a Sua Mensagem de Amor:

“Amai-vos uns aos outros como eu vos amei”.

 

Ressuscitou

E, novamente, voltará

Porque Ele está vivo,

Em espírito – Espírito Superior

E não se irá cansar

De Sua Mensagem de Amor,

De novo, nos vir lembrar:

Que uns aos outros nos devemos amar.

 

Acabou a festa

 

A alegria,

A fantasia,

A magia do Natal;

Que ironia…

Esfumou-se no ritual

E esqueceu-se o Amor,

O amor que Jesus nos veio lembrar.

 

Acabou o Natal

E de Amor nem sinal…

              «»                     
                            Zélia Chamusca


                        
Poema de - Zélia Chamusca
Fonte de imagem - Google
 

quinta-feira, 28 de dezembro de 2017

Mais uma carta para o Pai Natal


 


                                  

Meu Velho Pai Natal,

 

Três anos já passados que te escrevi

Pela primeira vez, e bem me atendeste

Com o belo presente que te pedi

Com aqueles criminosos tu correste!

 

Venho agora fazer-te um novo pedido,

 Semelhante àquele, ouve-me, não te rias…

Não lhes dês o presente pretendido…

Sabes, é que estes querem mais regalias…

 

Vê tu bem, que se esquecem dos pobrezinhos,

Apenas no Natal, nenhum é esquecido

E, durante todo o ano, coitadinhos

 

Vivem na rua sempre, todos os dias…

Meu Velho Pai Natal, olha o meu pedido:

Não lhes dês de presente estas mordomias.

                            «»

                                     Zélia Chamusca
Poema de - Zélia Chamusca
Fonte de imagem - Google
                                     

terça-feira, 19 de dezembro de 2017

Natal é...





 











Natal é

Tempo de festa

De constelações brilhantes

Cintilantes

 

Natal é

Tempo de alegria

De esperanças

E lembranças

 

Natal é

Tempo de Luz e Vida

De renovação

Enchendo o nosso coração

 

Natal é

Tempo divino

Nasceu Jesus Menino

Que transformou o mundo

Com o seu amor profundo

                 «»
                       Zélia Chamusca

                                


Poema de - Zélia Chamusca
Fonte de imagem - Google

quarta-feira, 13 de dezembro de 2017

É Jesus que vai chegar




 











Celebremos o Natal

É Jesus que vai chegar

Evento fenomenal

Que nós vamos festejar

 

Há estrelas de luz brilhando

É Jesus que vai chegar

Os anjos estão cantando

Vêm o Menino anunciar

 

P'ra nos dar a conhecer

É Jesus que vai chegar

Não iremos esquecer

No peito o Seu amor gravar

 

Se Natal é nascimento

É Jesus que vai chegar

Porque só neste momento

Pensamos em nos amar?

 

Que significa o Natal?

É Jesus que vai chegar

E para quê afinal

Vem de novo nos lembrar

 

Que Natal não é só agora

É Jesus que vai chegar

Ele não se vai embora

Chega p’ra sempre ficar.

              «»

                    Zélia Chamusca

Poema de - Zélia Chamusca
Fonte de imagem -Google
            

sábado, 9 de dezembro de 2017

Em todos os dias se faz Natal


                               
 

Em todos os dias
alguém nasce para a vida e alguém renasce para uma nova vida 

Em todos os dias
há consciências na busca da sublimação e purificação da alma

Em todos os dias
alguém procura a elevação espiritual através do amor

Em todos os dias
há quem lute pela supressão do sofrimento dos pobres face às injustiças sociais 

Em todos os dias
alguém se reveste de amor e nos trás uma mensagem fraterna de solidariedade e de paz

 Em todos os dias
há quem dê amor fraterno  - “É dando que se recebe, é perdoando que se é perdoado e é morrendo que se vive para a vida eterna” (1) 

Em todos os dias
há quem siga Jesus  no amor fraterno que Ele de novo nos vem lembrar
 “Amai-vos uns aos outros, como Eu vos amei”.(Jo 13,34).

                     «»

                                     
(1)    – Excerto da Oração de São Francisco de Assis
Poema de - Zélia Chamusca
Fonte de imagem- Google