quarta-feira, 5 de julho de 2017

Os dois paióis assaltados


 
                                       

Portugal é país de paz,

de calma e tranquilidade,

onde adormecem  vigias

a sonhar de f’licidade…

 

São assaltados os paióis

durante a hora de descanso;

enquanto uns estão a dormir

estão outros no surripianço...

 

A tranquilidade é tanta

que nem é preciso olhar

pelas armas em repouso;

Podem os paióis assaltar!

 

De armas nós não precisamos,

ninguém de guerra é capaz.

Continua a floresta a arder

e os criminosos em paz!

 

Alguém visitou os dois paióis

e o material assustado

foi pescado com anzóis,

eu sei lá para que lado…

 

Lá se foram tantas armas

de dois dos paióis de  armamento,

sumiram, sei lá para onde,

foram com consentimento…

 

Dizem que voaram de avião,

sei lá bem p’ra que paragem…

Foi-lhe dada a permissão

ou talvez seja chantagem…

 

Já despojados os paióis

de armamento militar

e já depostas as armas,

vamos todos descansar!

 

Está tudo bem vigiado

na paradisíaca paz,

no nosso país arrasado,

em que tudo em cinzas jaz!

                «»

 
Poema de - Zélia Chamusca
Fonte de imagem - Google

Sem comentários:

Enviar um comentário