domingo, 2 de julho de 2017

Misterioso silêncio




















Paira um misterioso silêncio no ar

envolto numa cruel cumplicidade,

um hipócrita e nauseabundo olhar

na cobardia  da intranquilidade.

 

Andam almas inquietas temerosas,

perdidas no espectro antro da maldade,

consciências esfumadas, nebulosas,

consumidas p’la nefasta crueldade.

 

Pesadas  são as consciências com maldade

p’la tragédia do fogo carregadas

e p'lo negro fumo da insanidade!

 

Pelo ódio, finalmente, irão estoirar

porque as populações, já  tão cansadas,

para os infernos as irão mandar!

                         «»
Poema de  Zélia Chamusca
Fonte de imagem -Google

Sem comentários:

Enviar um comentário