quinta-feira, 12 de janeiro de 2017

Folhas Caídas


 

  












 Ausente na multidão,

Sozinha converso,

Imersa na lassidão

De outrora o inverso.

 

Deambulo entre a gente,

Com que na rua me cruzo,

Todo indiferente

E, paradoxalmente,

Algo profuso

Embora difuso.

 

No imenso vazio

Deste Inverno frio,

Aqui e ali,

Como qualquer álibi,

Brotam folhas caídas

P’lo vento varridas:

 

Narcísica imagem,

Na água cristalina,

Refletindo a passagem

Que meu espírito atina.

             «»
Poema de - Zélia Chamusca
Fonte de imagem- Google

2 comentários:

  1. Que é que eu posso dizer mais? Belo poema. Não seria de esperar outra coisa desta grande poetisa. Abraço cordial do MPF.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Neca Ferreira, muito grata pelo seu agradável comentário.
      ZCH

      Eliminar