sábado, 19 de novembro de 2016

Há quem chore a rir e quem ria a chorar


 
 

 
Há quem chore a rir

p’ra desabafar

mas, o meu sentir

é rir a chorar.

 

Há quem nunca chore,

há quem nunca ria,

há quem nunca core

nem tenha alegria.

 

Tal a diferença,

num simples olhar,

sem ter parecença,

em tudo invulgar.

 

Somos diferentes,

somos singulares,

somos simples entes,

somos parcelares.

 

Parcela divina

dum Supremo Ser

que a todos ensina

como dever ser,

 

em plena harmonia

na diversidade,

numa sintonia

de amor à Verdade.

           «»

  Poema de -  Zélia Chamusca

Fonte de imagem- Google

 

 

2 comentários:

  1. Mais um encantado poema desta mestra inigualável ! Parabéns !

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Grande Poeta, Paolo Lim, que surpresa que me faz feliz!
      Muito grata,
      ZCH

      Eliminar