domingo, 27 de novembro de 2016

A Luz Perdida Jamais Encontrada



Quantas vezes já morri de saudade
na escuridão da luz celeste ausente…
Não nasceu o sol e não há claridade
na ausência da cor já nunca presente…

Nos dias amortalhados que a alma sente,
não renasce a luz por breves momentos,
morrendo também comigo a luz, ciente
dum coração estilhaçado em fragmentos.

Da luz perdida jamais encontrada
já nada mais resta senão a lembrança
da glória que foi, agora, já passada…

Passa breve a vida, tão efémera é.
Mas, não devemos perder a esperança;
p’rá  morte vencer é preciso fé!
                             «»



Poema de -    Zélia Chamusca

Fonte de imagem - Google

Sem comentários:

Enviar um comentário