terça-feira, 20 de setembro de 2016

O Livro da Alma


 
 

 
 
 
 
 
 
Abro o livro da alma

P´ra que possam ler,

Mas, nem todos sabem

Que têm que entender.

 

Soletram palavras

Tão mal entendidas,

Palavras que escapam,

Se somem perdidas.

 

Volto a abrir o livro

E a alma se revela

E nunca vêm nada,

Nada se desvela.

 

Tanto sabedor,

Tanto aculturado

Que nada mais é

Que mero iletrado.

 

Vou fechar o livro

Porque nada lêem,

E, agora, ainda, aberto

Passam e não vêem!

 

Então, fechei o livro!

E, um dia, ele se abriu…

Nas páginas brancas

Uma luz surgiu…

 

P’ra lerem o livro

As mentes abriu

E a luz que brilhava

No branco floriu!

 

Coberto em palavras,

No branco da lua,

Surgiu a pureza

Da verdade nua!

 

E agora, despertas,

As mentes das gentes

Aplaudem de pé,

Felizes, contentes!

               «»
           
Poema de - Zélia Chamusca
Fonte de imagem - Google

quarta-feira, 7 de setembro de 2016

Ser Amigo


 
          
             

Ser amigo é  ser calma, tranquilidade;

É estar contigo e sentir felicidade;

É sentir o que sentes e estar presente;

É estar alegre sem motivo aparente.

 

É ser estrela brilhante e reluzente;

É olhar  para ti  e sorrir de contente;

É aquele que dá sem qualquer recompensa;

É aquele que é feliz com  tua presença.

 

É aquele que quer contigo sempre estar;

É aquele que vibra com o teu sucesso;

É aquele que te deseja progresso.

 

É aquele que te ouve e  fala com o olhar;

É aquele que contigo segue em frente;

É aquele que,  p’ra ti, está sempre presente.
                                                                              «»


Poema de - Zélia Chamusca
Fonte de imagem - Google