sexta-feira, 27 de maio de 2016

No Mundo Selvagem




Sempre que me lembro
Do que nunca esqueço;
Tal a indignação
Isto não mereço!

Tanta sem vergonha
Gira à minha volta;
Não há quem se oponha
Tamanha é a revolta!

Tanta insensatez
E falta de ciso,
Minha lucidez
Eu tenho e preciso.

No mundo selvagem
Habitam abutres
Em densa folhagem
De arbustos palustres!

Dobrados espreitam
P’ra atacar a presa,
Mas, já se sujeitam
A arquear sem defesa!
                «»

2 comentários:

  1. A humanidade vive, diante da lei da sobrevivência.
    Não q um dia tenha sido diferente. Mas essa é a missão do ser; Lutar, pela sua sobrevivência.
    Parabéns, minha querida.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Monica, ainda não tinha pensado nessa sua visão. É verdade o que diz pois a maioria luta pela sobrevivência mas a maior crueldade está naqueles que não lutam mas sacrificam o próximo e, é por isso que não sobrevivem mas vivem explorando o semelhante. Veja que 1% da humanidade tem tanto como os restantes 99%

      http://g1.globo.com/economia/noticia/2016/01/1-da-populacao-global-detem-mesma-riqueza-dos-99-restantes-diz-estudo.html

      Beijinho, ZCH

      Eliminar