segunda-feira, 4 de janeiro de 2016

A Luz Verdadeira que Iluminou o Natal

Por Zélia Chamusca


                                                   

Natal significa nascimento. Tem origem na palavra  latina “natalis” do verbo ”'nascor” (nasceris, nasci, natus sum) que significa nascer.
É a festa do nascimento de Cristo que, é celebrada pelos católicos,  por cristãos não católicos e por alguns não cristãos, em todo o mundo.
Os não cristãos,  por exemplo os islamitas, não seguem Jesus,  não o consideram Messias; seguem  os ensinamentos de Maomé, profeta posterior a Jesus (que teria vivido entre os anos 570 e 632 d.C.), pois, este teria vindo ao mundo completar a mensagem de Jesus e dos demais profetas. Mantêm, contudo, tal como os de outras religiões não cristãs, uma relação de respeito, apesar de a data não ser considerada sagrada para o seu credo.
Esta celebração foi instituída pela Igreja Católica (única Igreja Cristã, na altura) no sec.III para incentivar a conversão dos povos pagãos.
Não sendo referida, na Bíblia, a data do nascimento de Jesus Cristo foi considerado o dia 25 de dezembro para a celebração.
Existem várias explicações sobre a escolha da data da celebração mas a mais provável teria sido a festividade romana pagã anterior ao cristianismo e que ocorria exatamente no dia 25 de dezembro. Essa festividade era chamada Dies Natalis Solis Invicti,  a celebração do aniversário do deus Sol e marcava a volta dos dias mais longos depois do solstício de inverno. Além disso,  ocorria logo após a Saturnália, outra festividade muito popular na Roma antiga dedicada ao deus Saturno, durante a qual a população participava em festas e banquetes e fazia troca de presentes.
Porém, a celebração da natividade de Cristo não se realiza exactamente neste dia, nos países que a celebram.
Por exemplo:
Em Portugal, Espanha, USA e Rússia –  é celebrada a 24/25 de dezembro;
Na Holanda de 6 a 12 de dezembro;
No México de 16 a 24 de dezembro.
Os eslavos e ortodoxos, cujos calendários eram baseados no calendário juliano, o Natal é celebrado no dia 7 de janeiro e  os cristãos arménios celebram-no a 6 de janeiro.
Depois desta sintética descrição histórica façamos uma breve reflexão sobre o simbolismo  do Natal.
O Natal é sempre celebrado, em todo o mundo, com magia, muita cor e muita luz, com decoração luminosa e  festiva, nas habitações, nos estabelecimentos, nas ruas, nas cidades, nas vilas, nas aldeias e,  fundamentalmente, com muita luz no nosso coração manifesta na alegria, no simbolismo da entrega, no dar e receber entre todos.
A alegria no Natal, que acabámos de celebrar, foi  luz que se desprendeu da alma, se reflectiu no olhar e iluminou o mundo, tendo culminado na passagem de ano com o espetacular  fogo de artifício.
E, quando olhámos bem para o céu até pudemos ver as estrelas a regozijar de alegria!
Se mantivermos esta alegria fazendo com que um raio de luz permaneça sempre aceso dentro de nós e ilumine a nossa vida, esta luz refletir-se-á  em todos os que estiverem à nossa volta.
Nunca  percamos a alegria; se a perdermos procuremo-la dentro de nós.
Vivamos a vida com alegria porque é demasiado bela para não ser iluminada.
Comecemos por nos olharmos a nós próprios  e vermo-nos  iluminados pela luz da alma no respeito, no amor  e na dignidade.
Os nossos valores encontramo-los dentro de nós. Se não formos nós próprios a encontrá-los dentro de nós,  como poderá alguém vê-los?
Depende de ti, de mim, de todos nós, com a luz da nossa alma aniquilarmos a escuridão no mundo para que não mais haja quem viva mergulhado na escravidão, fome, sofrimento, homicídio e guerra.
Se todos nós começarmos por nos vermos iluminados pelos valores morais que encontramos dentro de nós,  transmitiremos essa luz ao mundo fazendo jazer todo o mal e ressurgir um mundo novo, de luz verdadeira, onde vivamos unidos pela alegria de  vivermos em  paz, amor e fraternidade.
Que melhor forma de celebrarmos o nascimento de Jesus Cristo, Aquele que é a Luz do Mundo?

“Eu sou a luz do mundo; quem me segue não andará em trevas, mas terá a luz da  vida” (João 8.12)

Façamos com que permaneça  sempre acesa, em nossas almas,  a luz verdadeira que iluminou o Natal!
                                                            «»
                                                                               Zélia Chamusca
                                                                      
                                                                              Ano Novo de 2016


Escrito de - Zélia Chamusca

Fonte de imagem - Google

4 comentários:

  1. Neste novo ano estou a tentar visitar todos os amigos da Verdade Em Poesia afim de lhes desejar um 2016 muito feliz cheio de grandes vitórias e muita saúde e Paz.
    António.
    Ps. Tive de seguir novamente pois estava sem foto.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá, António Jesus Batalha!
      Que felicidade alguém aparecer e deixar umas palavras fraternas!
      Reparei que tinha desaparecido a sua foto. Também tenho carências de tempo para visitar aqueles que me visitam e outros que não. Fazemos o que podemos.
      O que é preciso é transmitirmos a mensagem para que nos lembremos que a felicidade,as vitórias e a paz dependem de todos nós. A saúde com a ajuda de Jesus também conseguiremos.
      Muito grata e meu abraço fraterno,
      ZCH

      Eliminar
  2. Zélia, ficaram muito belas suas colocações. No Natal, os corações se iluminam, da mesma forma que são colocadas luzes e cores nas decorações dos ambientes. Cabe-nos manter essa luminosidade interior, colaborando para uma relação harmônica em todos os grupos sociais. Bjs.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Marilene,
      Você é um espírito iluminado!
      Que sua vida seja permanente raio de luz em amor e fraternidade.
      Meu amor fraterno,
      ZCH

      Eliminar