terça-feira, 19 de janeiro de 2016

A Banda das Avezinhas

                 

                                           

Anda a banda tão agitada
na luta pelo poder,
assustada a passarada
porque só um irá vencer.

Houve debate dia a dia,
houve confronto de ideias
transformadas por magia
em obstrutivas  apneias.

De cabeças esvaídas
umas às outras se atingem
porque se sentem vencidas
não cantam… apenas fingem…

A cegueira é tamanha
na dança para o poleiro,
cada uma procura a manha
para vencer o parceiro.

Saltam estas avezinhas
de poleiro em poleiro,
elas nunca estão sozinhas…
Vem atrás o galinheiro.


Música desafinada
na dança que continua,
tal baile de gente fina
que se apresenta na rua.

Assim, pobres avezinhas
que andam todas num virote…
Tão cansadas, coitadinhas,
divertem-nos que é um fartote!

Já tão exaustas adormecem
todas, uma a uma em seu galho,
mas, o mesmo que elas querem
é o do topo do carvalho.

Convocam depressa o povo
para a escolha da melhor,
não vendo nada de novo,
baralhado, teme o pior.

Bem acérrimo o debate
de ideias que ninguém viu,
mas no final do combate,
o líder, então, surgiu!

Tão fascinante que ele é
e discursa com razão.
-Vós já sabeis quem ele é?
- É entre todos - o Rei Leão!

- Não não, não é ave nem é leão,
mas que canta muito bem
o que vai ser o campeão
da corrida até Belém!
                  «»
                                                                 Zélia Chamusca      


Poema de - Zélia Chamusca   
Fonte de imagem - Google                             

6 comentários:

  1. Lindos versos. Bênçãos incessantes da poetisa Cynthia Theodoro Porto.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Agradeço a Cynthia Theodoro Porto o seu comentário e por ter apreciado o que escrevi.
      ZCH

      Eliminar
  2. Abençoada aquela que sabe dar vida e encanto às palavras salpicadas aqui e ali com um sabor e humor bem próprio e que muito admiro.Prosa

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ilustre Presidente da APP, António Pais da Rosa,

      Muito grata pelo seu comentário e, fundamentalmente, pela sua presença neste espaço.

      Minhas saudades...

      ZCH

      Eliminar
  3. Grande e valoroso é o artista que olhando a paisagem enevoada em que ninguém nada vê de fundamental, ele descortina os traços que lhe permitem pintar um quadro esclarecedor e didáctico para aqueles que querem ver. Mas querida poetisa a maioria dos espectadores das palhaçadas, não se interessa por ver claramente e com inteligência esse quadro e continua baralhado e vota uma carta marcada, às cegas, e esperando milagres. Como estes depois não aparecem acabam por chamar os piores nomes àquele que elegeram. É a democracia.
    Mas só lamento que tais pessoas se comportem pior do que aves e outros animais que o homem, arrogantemente, chama irracionais mas que dão à humanidade lições de moralidade e de civismo que todos devíamos aprender.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A.João Soares,
      A sua presença, há tanto distante, é neste espaço surpresa enriquecedora que muito agradeço.
      Efetivamente, a imagem que utilizei está para além da realidade humana em comportamento social.
      Foi frustrante a imagem transmitida à sociedade (eleitores) pelos que disputaram entre si o mais elevado cargo da Nação.
      Parece que, nem sempre, a educação, instrução e a cultura conseguem fazer a diferença na postura e na dignidade entre aqueles que nos representam e/ou dirigem.
      Muito grata pelo seu enriquecedor comentário que lamento só agora ter visto.
      Abraço,
      ZCH

      Eliminar