quarta-feira, 20 de maio de 2015

São Rosas

       


















São pétalas de rosas desfolhadas
Que no sopro do vento são levadas.
São de rosas vermelhas perfumadas
Que na imensidão dos céus são espalhadas.

São o símbolo do amor que em mim ficou
E que a vida para sempre marcou.
São a luz celeste que a alma iluminou.
São a esperança que do meu ser brotou.

São o perfume que me inebria e conforta.
São na vida o que de mim tudo brota,
São a presença do amor à minha volta,
São a força que a alma sustem e suporta.

São estrelas cintilantes a brilhar,
São luz perene para  iluminar
O caminho que tenho que traçar
Na subida ao céu p’ra nelas tocar.
                          «»      

                                 Zélia Chamusca


Fonte de imagem - Google

2 comentários:

  1. As pessoas são diferentes. Enquanto as vulgares vêm na atmosfera a poluição e as núvens anunciadoras de tempestade, uma alma apaixonada vê beleza de rosas que lhe iluminam a vida e o caminho para o éter.Como a poesia é bela e divinal na mente dos poetas do Bem e do Amor! Que Deus mantenha em bom funcionamento e por muitos anos a veia da poetisa Zélia Chamusca para nos inebriar com as suas obras.
    Desejo-lhe um bom fim de semana florido.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Surpresa!
      Há quanto tempo não era contemplada com um comentário deste Ilustre Amigo, A. João Soares!
      Por vezes é mesmo necessário termos sensibilidade para vermos o belo da vida mesmo quando ela é bem negra.
      Quando se tem a capacidade de conseguir transmitir o resultado desta sensibilidade, sai um poema como este.
      E quando se recebe a graça de saber que a mensagem conseguiu chegar ao leitor é uma felicidade incentivante que incita a continuar a olhar e ver que nem tudo é negativo no mundo que nos rodeia.
      Muito grata por seu comentário.
      Beijinho,
      ZCH

      Eliminar