quarta-feira, 20 de maio de 2015

São Rosas

       


















São pétalas de rosas desfolhadas
Que no sopro do vento são levadas.
São de rosas vermelhas perfumadas
Que na imensidão dos céus são espalhadas.

São o símbolo do amor que em mim ficou
E que a vida para sempre marcou.
São a luz celeste que a alma iluminou.
São a esperança que do meu ser brotou.

São o perfume que me inebria e conforta.
São na vida o que de mim tudo brota,
São a presença do amor à minha volta,
São a força que a alma sustem e suporta.

São estrelas cintilantes a brilhar,
São luz perene para  iluminar
O caminho que tenho que traçar
Na subida ao céu p’ra nelas tocar.
                          «»      

                                 Zélia Chamusca


Fonte de imagem - Google

domingo, 10 de maio de 2015

Depois da Euforia



Depois da euforia
de exuberante alegria,
o encontro da realidade,
saudade…

A sensibilidade
à flor da pele,
a autenticidade,
o encontro consigo mesmo
no desencontro em que se encontram
o pensamento e a alma,
numa acalmia
em que a ironia
apaga a fantasia
da comédia teatral
que confunde o real,
e, a realidade
acorda adormecida
na angustiante saudade…

             «»
                   Zélia Chamusca



Fonte de imagem - Google