quinta-feira, 13 de novembro de 2014

O tempo marca a hora














 O tempo marca a hora,
 mas, o tempo não existe…
 O que é o tempo afinal?
 Senão mera criação mental?

 Contudo, também o dia
 pelas horas é marcado
 mas, definidamente, dia, dia,
 só pelo  Sol é criado.

 E, esta força energética,
 em que  nos manifestamos
 enquanto seres humanos,
 é um nunca mais parar
 senão para pensar,
 para amar,
 para orar,
 e… trabalhar.

 São diferentes etapas,
 na dinâmica da vida,
 demarcadas pelo espaço,
 não vazio,
 em que  existe uma pausa,
 entre uma e outra etapa,
 elo de ligação,
 num todo em interação.

 Dia de não trabalhar
 não é ficar inactivo,
 é tão só, de atividade mudar,
 numa atitude sublime.

 Dia de entrega,
 dia de oração,
 dia de arte,
 dia de contemplação,
 mas, nunca de inação!

 A pausa não é estática.
 É espaço de reflexão
 para um novo começo,
 interligação.
 É preparação
 para outra dimensão!
              «»

Poema de - Zélia Chamusca
Fonte de imagem - Google
                     

10 comentários:

  1. Que dancem as horas! Que passe o tempo! Mas que saibamos vivê-lo e entendê-lo, pois o viver pode ser rico se não nos preocupamos com o relógio e sim com um belo preenchimento de cada segundo. Bjs.

    ResponderEliminar
  2. Inteligente e tão agradável comentário!
    É isso mesmo, Marilene!
    Saibamos aproveitar o tempo vivendo-o com felicidade.
    Grata pela presença e beijinho,
    ZCH

    ResponderEliminar
  3. Amada hoje estou passando para dizer que te amo
    muito..muito mesmo.

    ResponderEliminar
  4. O tempo pode passar e os dias e noites podem até ser marcados pelo rodar incessante do relógio, das horas...Deste movimento universal e imparável. Mas a vida, essa passa, esvai-se e agita-se na incomensurável agilidade das horas, no ritmo lento ou apressado do nosso coração e alma, do nosso pensamento e sonho. O importante é mesmo que saibamos, na agitação das horas que marcam o tempo (o nosso tempo) viver a vida com intensidade e alegria.
    Belo poema, como sempre, as palavras bailam nas mãos de mestre!
    beijinho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Luar Perdido,

      És o mais belo Luar Encontrado que reluz no brilho das tuas palavras de Mulher inteligente, sensível e verdadeira artista da linguagem, da tua linguagem invulgar.
      Grata pela presença e muita Luz para ti, sempre
      ZCH

      Eliminar
  5. O tempo, quando marcado pelo Sol e as estações do ano, é uma imposição da Natureza que condiciona tudo,com naturalidade. Pelo contrário,o tempo imposto por uma máquina chamada relógio, é uma virtualidade que oprime o ser humano e lhe cerceia a liberdade. Cada minuto deve ser vivido sem restrições, como se fosse o último... ou como se fosse o primeiro de uma nova etapa,para a qual devemos usar de todo o nosso poder de inovação, de criatividade, para criarmos algo de que gostemos e que julguemos contribuir para a nossa felicidade e a dos outros seres vivos que são nossos companheiros na superfície deste planeta.
    Desejo que a autora deste poema tenha sempre o seu tempo bem ocupado e que crie mais poemas que nos deleitem e sejam estímulo de ricas reflexões.
    Beijo
    AJS

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Ilustre Sr. A. João Soares,
      Por vezes, e, especialmente quando mudam a hora sinto-me mesmo cerceada e irritada por ter que andar ao sabor, não só das horas marcadas no relógio, como da agravante do próprio relógio ser cronometrado para nos controlar e a que somos obrigados a obedecer pelas imposições da sociedade em que estamos inseridos.
      É a complexidade do tempo ou das horas.
      Noutro contexto, devemos aproveitar, como refere, cada momento, cada minuto e vivê-lo o melhor possível.
      "Cada minuto deve ser vivido sem restrições, como se fosse o último..."
      Sim devemos aproveitar viver cada instante de nossas vidas o melhor possível porque ela é tão fugaz e cada momento que desperdiçamos é deitar fora parte de nossa vida.
      Muito grata por seu enriquecedor e incentivante comentário.
      Beijinho,
      ZCH

      Eliminar
  6. O tempo, seja ele marcado pelo sol ou pelo relógio, é uma coisa que sempre lutamos contra... porque andamos sempre com a falta dele...
    Mas, tempo, é o que mais há...
    Gostei do teu poema, é magnífico.
    Tem um bom fim de semana, querida amiga Zélia.
    Beijo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Grata, Nilson Barcelli, pelo seu comentário.

      Bom fim de semana.

      Beijinho,

      ZCH

      Eliminar