sexta-feira, 28 de novembro de 2014

Agradecimento



Sinto-me muito feliz por ter tido o privilégio de fazer o lançamento de “UM MUNDO MELHOR – Intervenção social e política”, no importante e simbólico espaço da Associação 25 de Abril.

Agradeço ao Sr. Coronel Vasco Lourenço a disponibilização do espaço bem como a sua relevante presença e leitura de alguns poemas, tendo imprimido ao evento uma dinâmica agradável, descontraída e alegre em que todos nos sentimos bem.

Foi um momento muito agradável para todos os presentes.

Agradeço ao Sr. Coronel Nuno Santos Silva a sua presença bem como as diligências efetuadas para que o lançamento da obra se realizasse neste prestigioso espaço.

Agradeço ao Sr. Coronel António João Soares que, por motivos alheios à sua vontade, não pode estar presente no evento, mas escreveu sobre a apresentação da obra por si prefaciada, tendo o escrito sido lido em seu nome. 

A todos os presentes, Capitães do 25 de Abril, colegas de trabalho de longos anos, amigos reais e sinceros, familiares e parentes, a minha gratidão,

                                                                                             Zélia Chamusca

quinta-feira, 13 de novembro de 2014

O tempo marca a hora














 O tempo marca a hora,
 mas, o tempo não existe…
 O que é o tempo afinal?
 Senão mera criação mental?

 Contudo, também o dia
 pelas horas é marcado
 mas, definidamente, dia, dia,
 só pelo  Sol é criado.

 E, esta força energética,
 em que  nos manifestamos
 enquanto seres humanos,
 é um nunca mais parar
 senão para pensar,
 para amar,
 para orar,
 e… trabalhar.

 São diferentes etapas,
 na dinâmica da vida,
 demarcadas pelo espaço,
 não vazio,
 em que  existe uma pausa,
 entre uma e outra etapa,
 elo de ligação,
 num todo em interação.

 Dia de não trabalhar
 não é ficar inactivo,
 é tão só, de atividade mudar,
 numa atitude sublime.

 Dia de entrega,
 dia de oração,
 dia de arte,
 dia de contemplação,
 mas, nunca de inação!

 A pausa não é estática.
 É espaço de reflexão
 para um novo começo,
 interligação.
 É preparação
 para outra dimensão!
              «»

Poema de - Zélia Chamusca
Fonte de imagem - Google
                     

domingo, 9 de novembro de 2014

Apenas imaginário


  
Vives no meu imaginário
Em momento fugaz
De fraternidade e de paz.
O mundo te produziu assim.
Fazes parte de mim
Numa perfeita dicotomia
Em completa ataraxia.

Soltas-te do meu subconsciente
Num percurso permanente
Na busca de paz e tranquilidade,
De amor e fraternidade,
Que, finalmente, num desdobramento
De encantamento,
Em êxtase de plenitude,
E suprema virtude,
Encontro, apenas, no meu imaginário,
Em momento fugaz
De fraternidade e de paz.

                «»
                    
                                Zélia Chamusca


terça-feira, 4 de novembro de 2014

O Silêncio



              

Refugio-me no âmago do silêncio;
Para quê falar, se não há ouvidos?
Para quem falar se à volta há vazio?
Sentimentos? Guardo-os tão bem sentidos…

O silêncio é verdadeira oração,
É puro diálogo que extravasa da alma
Em palavras que saem do coração,
Numa sintonia de paz e de calma.

O silêncio é pura sabedoria,
É cofre sagrado de grande emoção,
É tranquilidade, é ataraxia.

Silêncio é  respeito, é serenidade,
É equilíbrio de alma  é sabedoria,
É saber que acalma, é felicidade.
                        «»

                          Zélia Chamusca





Poema  de - Zélia Chamusca  
Fonte de imagem- Google           




domingo, 2 de novembro de 2014

A Eternidade





Tão absurda é a morte
Que preciso acreditar
Que o corpo é suporte
A que o espírito há-de voltar.

Mas quando isso acontecer
Este corpo não terei
Noutro, meu espírito irá ser
E de novo aqui estarei.

E um dia eu serei
Pura eternidade
Junto a Deus eu estarei
Em plena Felicidade!
                      




Poema de - Zélia Chamusca
Fonte de imagem- Google