sábado, 19 de julho de 2014

A Eternidade é Essência






















A eternidade não é estática
e imutável,
estável.
Ela é dinâmica
e existe para além do tempo.
Ela é transcendência,
é essência.

Tudo, no cosmos universal,
é mutável e real.
Tudo é permanente mutação
e transformação,
que se vê e sente
no todo existente.

Tudo é movimento permanente
em todo o universo presente,
o próprio processo
da dinâmica do universo.

Tudo o que existe
no cosmos universal
está em permanente mutação
e transformação.

A eternidade é transcendência.
É essência,
é energia,
é a força coordenadora
e geradora
do universo organizado
por Deus, (Transcendência), criado.
              «»

Da obra - PALAVRAS DA ALMA
Chiado Editora

terça-feira, 15 de julho de 2014

Procuro-Te























Procuro-te na vida a cada instante,
Tua presença em minha alma é constante...
É tal a procura, forte e insistente,
Que absorve por completo minha mente...

Procuro ver-te nos campos de flores,
Procuro-te na beleza das cores,
Por entre os bandos de aves a voar,
No encanto do som do seu chilrear...

Procuro-te no céu, na terra, no ar
E na imensa dimensão do meu ser,
Sobre o mar no sol ao entardecer...

Apenas, te sinto dentro de mim,
No amor intenso infinito sem fim...
Procuro-te, e não te consigo ver!
                 «»

Da obra - PALAVRAS DA ALMA
Chiado Editora

sexta-feira, 4 de julho de 2014

POSFACIO pela Autora



Quando pensei em publicar este livro tinha intenção de
o preparar, apenas, com o conteúdo temático no âmbito da
especulação e reflexão filosóficas.
Mas, como pretendi escrever para uma gama mais alargada
de leitores com diferentes interesses e sensibilidades,
resolvi incluir, nele, conteúdos mais diversificados.
A ideia inicial é a constante nos dois primeiros capítulos:
I – Eternidade/ Efemeridade
II – Reflexão/ Transcendência
Porquê esta ideia?
Não sei bem. Surgiu, inesperadamente, porque dei por
mim a escrever sobre a eternidade e, sem ter dado conta
disso, quando acabei de escrever, tinha criado três poemas
reflexivos:
– Eternidade;
– A eternidade não existe;
– A eternidade existe.
Os três poemas expressam um pensamento aparentemente
oposto, mas lógico, pois tudo o que é, é e não é ao
mesmo tempo.
Podereis pensar que me senti perdida numa incoerência
de raciocínio. Não, não senti. É a filosofia dos contrários.
Este interrogar é inerente à complexidade do tema em
questão e corresponde a uma necessidade do ser humano.
É objecto de muita especulação filosófica que começou
com os pré-socráticos, que estudavam a “Physis”, a
Natureza, isto é, a Cosmologia, que estuda a origem,
estrutura e evolução do Universo a partir da aplicação de
métodos científicos, ou a Cosmogonia, uma das diversas
teorias ou explicações que determinada religião ou cultura
atribuiu à origem do universo e seus principais fenómenos.
A doutrina da filosofia dos contrários, (cujo autor é
Heraclito de Éfeso, considerado o pai da dialética), é um
método de diálogo cujo foco é a contraposição e contradição
de ideias que levam a outras ideias e que tem sido
um tema central na filosofia ocidental e oriental desde os
tempos antigos. A mudança que acontece em todas as
coisas é sempre uma alternância entre contrários:
Por exemplo, existe o frio porque existe o calor, existe
o mal porque existe o bem, existe a saúde porque existe a
doença, isto é, se não existisse a doença, não se valorizaria
a saúde.
Por outras palavras, a realidade acontece, não numa das
alternativas, dado que ambas são, apenas, parte de uma
mesma realidade, mas sim, na mudança, ou seja, como lhe
chama Heraclito, a guerra entre os opostos. Esta guerra é
a realidade, é a mudança, o movimento, aquilo que podemos
dizer que é. Defendendo, ainda, o princípio de que
tudo flui, tudo é movimento a não ser o próprio movimento.
Convido-vos a que façais uma leitura atenta e reflexiva
destes dois capítulos em Palavras da Alma.
Para mim a eternidade é a partícula de Deus, Transcendência, Origem.
Segundo este conceito, a eternidade é uma das problemáticas
que tem sido e continua a ser objecto da
epistemologia, ou seja, que tem despertado grande
interesse no campo da investigação científica, não só aos
cientistas, partindo dos filósofos, mas também a pensadores,
poetas e escritores, e, fundamentalmente, ao ser
humano em geral, numa perspectiva de um conceito e um
interrogar sempre presentes.
Se continuarmos a reflectir, talvez um dia possamos
deixar a especulação filosófica no encontro da realidade.
Convido-vos à reflexão sobre os temas dos dois
capítulos iniciais.
Para os que não apreciam esta temática têm nos
restantes capítulos:
O sentimento, a saudade, o amor e o lirismo poético.
Estou certa de que esta obra agradará a todos, mesmo
aos não amantes da poesia que, espero, em breve se
rendam ao encanto e beleza deste género literário.
                                                 Zélia Chamusca


Posfacio da obra PALAVRAS DA ALMA
Pela Autora - Zélia Chamusca
Chiado Editora