segunda-feira, 5 de maio de 2014

Saída limpa?






Dizem ser saída limpa
da assistência financeira;
não entendo como é limpa
a saída desta maneira:

FMI continua, aqui,
para o emprego promover?
Mas, se não saem daqui,
não consigo entender…

Quando temos que pagar
a divida que aumentou
e temos que continuar
neste caos que nos deixou,

deixam, os desgovernantes,
roubar pobre reformado,
coisa que nunca eu vi antes,
e, reduzir o ordenado

aos pobres trabalhadores
para que se pague a divida
que os nossos maus  gestores
originaram… Duvida?

Sim… estamos nós a pagar
a dívida que eles criaram,
e, agora para a pagar,
já tanto aos pobres roubaram…

Isto é uma saída limpa?
Não encontro a saída,
mas, limpeza? Sim é limpa!
E como ela é permitida?

É bem grande esta limpeza
em que todos nós estamos!
Duvida ou tem certeza?
Mas, saída nós não encontramos…

Da assistência financeira?
É uma saída com limpeza?
Saímos? De que maneira?
Não  saímos de certeza…

Mas, limpeza é com certeza:

Limpam o nosso  ordenado
e as estruturas sociais,
limpam velho reformado,
limpam-nos os hospitais,

limpam alunos e escolas,
limpam tudo e muito mais,
limpam até as esmolas
de instituições  sociais.

Limpeza é de certeza,
mas, tem que ser continuada…
P’ra ser bem feita a limpeza
tem que ser bem asseada…

É preciso, ainda, limpar
os corruptos e os ladrões
que nos andam a assaltar,
traidores e aldrabões!

Tudo limpo vai ficar,
neste  grande  labirinto,
mas, para  saída  encontrar
tem que o “ lobby”  ser extinto!
                 «»

                            Zélia chamusca


Fonte de imagem - Google



2 comentários:

  1. Limpinhos, limpinhos ficaram mesmo os meus bolsos, porque estes políticos ao serviço do capital financeiro gostam muito de higiene...na economia deles e nas finanças dos "patos". Agora....é uma limpeza com mau cheiro, a detergente barato, a perfume de prostituição intelectual. Então até 2038, onde nos livraremos da "fiscalização" dos "mercados" quando 3 quartos da dívida dos Silvas, dos Sousas e quejandos estiver nas mãos dos "magos" da Economia Mundial.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá, Adriano,

      Não nos livramos desta desgraça. Temos que, pelo menos, limpá-los desta história para sempre...

      Depende de nós. Mas os nossos bolsos eles os romperam...

      Mais só em forma de poema porque de essência de poesia nada há para sentir a não ser a "nudez pura da verdade".

      Grata por sua presença e força para vencermos!

      Beijinho,

      ZCH

      Eliminar