sexta-feira, 25 de abril de 2014

Sonho lindo que findou






















Eu canto em triste elegia
Sonho lindo que findou
Que só por mera ironia
Na mente ele nos ficou.

Foi tão bela a liberdade
Dada a todos oprimidos,
Mas, que serve a liberdade
Se por ditador geridos?

E a desejada igualdade
Que é uma pura fantasia
Na triste desigualdade
Que cresce em cada dia?

Pobres cada vez mais pobres,
Ricos cada vez mais ricos,
Ricos porque roubam pobres!
Querem tudo p’ra si, os cínicos!

Espero a fraternidade
C’a força do meu querer
Para que em tranquilidade
Um dia possa morrer!

E é neste meu desencanto
Que em triste e breve elegia
A fraternidade eu canto
Esperando-a, sempre, um dia!
                        «»
                              Zélia Chamusca


Fonte de imagem - Google

Poema de - Zélia Chamusca                      

2 comentários:

  1. Zélia. Vejo-a muito pessimista. De facto já não temos muito tempo para ver derrubada esta maldição que nos sujeita há quase duas décadas mas eu, lutador, acredito que o bom senso há-de prevalecer. Dizia hoje este imitador de Maquiavel que é PM do nosso país "que as manifestações cheiram a bafio". Deve ser porque só a peste grizalha lá anda, os jovens ainda não conseguiram abrir os olhos, apesar da preparação académica que lhes foi legada. Mas não desespere. Acredite que a raça humana pode, deve e fará sempre que necesário o essencial para evoluir num sentido progressista. Por mim, continuo a alertar consciências, como é meu dever. Viva a Liberdade. Beijinho ABS.

    ResponderEliminar
  2. Olá Adriano,

    Ouvir os militares de Abril é uma lufada de ar fresco e de esperança que chega às nossas almas,"animus animi", alma, espírito. Dá-nos ânimo. Já no ano passado fiquei bastante comovida com o discurso de Vasco Lourenço e este ano também transmitiu, repito uma lufada de ar fresco e de esperança que muito anima e nos dá energia e força para viver e lutar para que em breve estes energumenos sejam mandados para bem longe...

    Grata por sua presença e força na sua luta. Cada um de nós tem a sua cruz que tem que carregar.

    Beijinho,

    ZCH

    ResponderEliminar