quarta-feira, 12 de março de 2014

Reduzida a Nada



Só sei que nada sou
Na minha imanência
Provinda da Transcendência,
Força que me criou.

Sinto-me impotente
No meu ser imanente,
Face ao Poder Transcendente.

Sentir a dualidade
Na limitada imanência
Face a ilimitada Transcendência
É uma angústia que me frustra,
Reduzida a nada
Na minha imanência,
Tão limitada…
          «»

                  Zélia Chamusca

Publicado na revista A CHAMA
Ano II Número 10

2 comentários:

  1. Assim também muitos brasileiros se sentem. Porém cabe a esperança de um dia isso se reverter pra melhor.
    Magnifico Zélia.
    Parabéns.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Monica,
      Só agora vi este seu agradável comentário.
      Grata e beijinho,
      ZCH

      Eliminar