quarta-feira, 5 de março de 2014

Mundo Conturbado






Vivo neste mundo conturbado,
tão perturbado
e avassalado
por seus detentores
dele destruidores,
que não consigo entender
o que estou a ver.
É tanta a perturbação
por tal destruição
que já nada sei dizer
nem fazer-me entender…                                                                                                                                    
Vejo o sol a brilhar
para mim a olhar
e diz-me a sorrir
que quer fugir
de envergonhado.
Vai descer sobre o mar
para nele mergulhar
e, aí, para sempre ficar…

Vejo a lua cor de prata,
numa noite de luar,
que desata a chorar
lágrimas de sangue,
acordando exangue,
triste e assustada
na terra sobressaltada.

Vivo neste mundo conturbado
por demónios dominado,
mundo cego, mundo de trevas,
de espinhos e estevas,
em que matam a alegria,
o sonho, a confiança,
a fé e a esperança.
E, a insensibilidade social
privilegiando o vil metal
origem de todo o mal,
causa destrutiva dos valores,
leva-nos, também, a fantasia
e, a poesia se apaga
triste e mergulhada
no vazio do nada…
          «»
                             Zélia Chamusca

Da obra - A SEGUNDA MENSAGEM - Para um Mundo Melhor

A editar

Sem comentários:

Enviar um comentário