domingo, 9 de fevereiro de 2014

Diga lá outra vez - OS NEOLOGISMOS




OS NEOLOGISMOS

Tanta é a originalidade
Falar com preciosidade
Que chego mesmo a pensar
Que já não os posso escutar! 


Tanta originalidade!
É criação, criatividade!
São tantos os neologismos
Francesismos, galicismos,
Que por vezes nada dizem,
Contradizem ou desdizem. 


Tão absurda é esta sua linguagem

Que às vezes creio que é miragem

Tanto ismo, ismo, ismo e mais ismo
Autêntico paroxismo!


Vós podeis acreditar,
Há tempos ouvi falar
Uma ilustre presidenta(e)
Estando eu tão bem atenta,
Fiquei sem nada entender
O que ela estava a dizer.

Era tanto neologismo
Era tanto preciosismo
Que só consigo entender
Que nada tem p’ra dizer.


E alguns vieram perguntar,
Pensando que eu os ia informar

Pediram para escrever
O que ela estava a dizer.
Mas não pude responder
Por não poder entender… 


Ouço tantos, tantos clones
Falar alto aos microfones…
Vós podeis acreditar;
Também podeis escutar! 

Eu nunca vi coisa assim…
Aprendi grego e latim,
Aprendi francês e inglês
E, também o português
E não entendo os neologismos
A não ser os paroxismos!...
                 «»
                              Zélia Chamusca


 Poema reeditado

4 comentários:

  1. Teus versos chegam encharcados de verdades.
    Tentam enganar o povo com tantas palavras difíceis. Mas já se sabe que tudo não passa de palavras decoradas do dicionário. Nada de bom aplicam do que dizem.

    Mônica Pamplona.

    ResponderEliminar
  2. Querida Mônica,

    As palavras que utilizam nem sequer existem no dicionário. Eles querem falar tão bem criando neologismos, mas não fazem mais que mostrar a ignorância do conhecimento da linguagem.

    Grata e beijinho,
    ZCH

    ResponderEliminar
  3. Vaidade? Gosto de ostentar cultura além da que possuem? Narcisismo? Arrogância? Enfim atitudes que acabam por produzir efeito contrário ao pretendido. Cada vez respeito mais os ascetas que viviam no seu silêncio meditando sobre o que há de mais profundo na humanidade e acabavam por deixar ideias magníficas e lições que, muitos séculos depois, ainda são muito apreciadas.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá, A João Soares!

      Os ascetas pensam...

      Grata por seu comentário,

      ZCH

      Eliminar