sexta-feira, 3 de janeiro de 2014

Finda assim este Natal!



 

Finda, assim, este Natal!
Não ouviram a Mensagem,
Persistem no mesmo mal
Em tudo o que aos pobres fazem!
 

Tão duro é o seu coração
Que os pobres fazem sofrer!
É tão grande a corrupção
Que não dá para entender!
 

Nunca têm alternativa
Na governabilidade
Sempre a mesma afirmativa
Com tamanha crueldade
 

Os mais ricos a aumentar,
A sua riqueza a crescer
E o pobre do reformado
É sempre o mesmo a sofrer.
 

Não param de atacar
Os mais frágeis, indefesos,
Quando deveriam estar
De algemas muito bem presos!
 

Porque nunca há alternativa
Em causar ao pobre o mal?
Nem nesta época festiva?
Finda, assim, este Natal!

                «»
Poema de -Zélia Chamusca
Fonte de imagem -Google

Sem comentários:

Enviar um comentário