quarta-feira, 11 de dezembro de 2013

Carta ao Pai Natal








Meu Velho Pai Natal, 


Sei que já escreveram para ti,
consta no orçamento
que no próximo Natal
o (des)governo e parlamento
irão receber a dobrar
o subsídio de Natal!...

Peço-te, Meu Velho Pai Natal,

Não lhes  dês esse presente
manda-os plantar couves
para a ceia de Natal!...

Sabes, esse dinheiro
é do velho reformado
que descontou do seu ordenado
e também a entidade patronal,
durante uma longa vida,
para que tivesse o subsídio de Natal,
cujo roubo foi declarado inconstitucional
pelo Tribunal Constitucional,
o roubo ao velho reformado!...

Vê bem o que, agora fizeram…
Estes imberbes fedelhos
que não respeitam os velhos,
nem a lei constitucional
continuam a roubar
aos velhos, o subsídio de Natal
e, querem para eles o presente a dobrar
e, também para o parlamento
para a  boca lhes calar !...

Meu Velho Pai Natal,

Faz o que eu te peço:
Rasga bem essa carta – o Orçamento do Estado;
Manda-os ir para outro lado;
Manda-os ir plantar as couves
para a ceia do Natal!...

Meu Velho Pai Natal,

Distribui os teus presentes
pelos pobres e doentes,
e pelos velhos que muito trabalharam
para  que a estes imberbes fedelhos,
que não respeitam os velhos,
fossem conferidos privilégios
que eles nunca usufruíram!...

Meu Velho Pai Natal, 

Manda  estes imberbes fedelhos,
repito, que não respeitam os velhos
que por eles são espoliados,
humilhados, desrespeitados
e, tão mal tratados...
Manda-os para a escola pedagógica
receber lições de moral, de ética,
de respeito e de dignidade!

               «»
 

http://narcisodosbosques.blogspot.pt/2013/02/quadrilha-de-ladroes.html


Poema de - Zélia Chamusca
Fonte de imagem - Google

7 comentários:

  1. Ao que sei, ao retirar cerca de dois terços do subsídio de férias que é pago no Natal por decisão dos "malandros" do Tribunal Constitucional, está a ser cumprida uma norma que não está no memorando de entendimento, mas que dá jeito para que os excepcionados deputados, membros do Governo, Juízes e magistrados, militares e assessores possam ter a sua ceia de Natal regada a "Moet-Chandom". Temos de entender que estes deficientes não têm nem honra, nem face, nem seriedade.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Adriano,

      Prefiro nem responder porque não iria sair nada agradável e embora não muito agradável mas bem menos, deixo minha resposta em :

      http://narcisodosbosques.blogspot.com/2013/02/quadrilha-de-ladroes.html

      Grata, Adriano por sua agradável presença.

      Beijinho,

      ZCH

      Eliminar
    2. O Adriano, infelizmente, já não está entre nós. Se cá estivesse saberia limparam tudo enquanto eles e Assembleia tiveram os subsídios a dobrar. Um bom exemplo de gente sem moral!.

      Eliminar
  2. Cara Amiga Zélia,

    Mais do que poetisa aprecio as qualidades de cidadã consciente e apaixonada por um País onde impere a Justiça Social, esse mito que tem sido afastado da realidade nacional.

    E como fala nas couves e na escola pedagógica., seria muito útil para o País enviá-los para uma quinta em PINHEIRO DA CRUZ, onde aprendessem a manusear a enxada e produzissem couves e outros produtos alimentares e, simultaneamente se consciencializassem do esforço que faz uma camada da população que eles tanto causticam para obter os beneficios dos governantes e outros sanguessugas do erário.

    Minha amiga e escusa de tentar listar todos os benefícios que esses fedelhos sacam indevidamente dos nossos impostos. Esse saque é tão imoral e escandaloso que legislaram para ser secreto. O segredo é uma arma de qualquer criminoso. Percebe???

    E expliquem para que é necessário o segredo nos actos de representantes do povo, eleitos, para, em transparência democrática cumprirem as tarefas neles delegadas pelos cidadãos para criarem mais bem estar para os portugueses. Só pode significar que eles têm consciência do banditismo que praticam, escandalosamente, sem vergonha nem ética nem moral, em prejuízo dos bons portugueses.

    Beijo com votos de Boas Festas
    João.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Bom Dia!
      Ilustre Amigo, A João Soares,

      Surpresa agradável esta sua presença, aqui, como sempre.

      Sua visita a Narciso dos Bosques veio de encontro ao meu desejo de ter um seu comentário, aqui, a esta "Carta ao Pai Natal" não obstante já a ter comentado em "Sempre Jovens".

      O que esta gente faz é humilhante!... Dizem que estão a pagar os subsídios e continuam a ROUBÁ-LOS AOS REFORMADOS!!! Dão-lhes umas migalhas como se dessem uma esmola... Esse dinheiro é dos reformados! É propriedade dos reformados! Reincidem nos crimes - DE FURTO E OFENSA AOS PRINCIPIOS DA DIGNIDADE DA PESSOA HUMANA!

      Onde estão os Juízes do Tribunal Constitucional que não fazem com que os criminosos cumpram a pena e devolvam o que furtaram, já não falando em indemnizar as vitimas pelo roubo e ofensa á dignidade?!

      Grata, Amigo por seu comentário e sua corajosa, inteligente e agradável presença neste espaço que construí para todos os que o quiserem visitar.

      Beijinho,
      ZCH

      Eliminar
    2. Como refere os reformados, permito-me transcrever um texto que publiquei no Face como introduçãoai uma entrevista de Luís Barbosa ao Ionline: O tema sugerido pelo título faz pensar na péssima e desonesta utilização que o Estado tem feito dos descontos sofridos durante a vida activa pelos agora reformados. Se a importância descontada tivesse sido investida pelos trabalhadores de forma segura e rentável, num banco ou seguradora de confiança, teria ao seu dispor, à data da reforma, um capital que lhe permitiria passar o resto da vida em cruzeiros e outros prazeres, sem receio de o dinheiro lhe vir a faltar. Mas o Estado ficou-lhe com essa cotização que foi obrigatória, sem alternativa, para a utilizar como se fosse um imposto e que veio a servir para alimentar corrupção, os abusos, em mordomias, em subsídios e em benefícios a «boys», em condições tão escandalosas que, há poucos meses, foram tornadas secretas para proteger a imagem, já tão desprestigiada dos políticos. Significativamente, nenhum ex-governante ou ex- deputado vive com carências financeiras, antes pelo contrário, todos aumentaram as suas fortunas e muitos passaram a fazer parte dos novos milionários.
      Portanto, os reformados não deviam ser peso sobre os actuais activos, o que seria possível se aquilo que descontaram durante dezenas de anos fosse destinado à finalidade a que era destinado e devidamente administrado.
      http://www.ionline.pt/artigos/portugal/luis-barbosa-nao-possivel-cidadao-meio-traga-reformado-suas-costas/pag/-1

      Eliminar
    3. Olá, Ilustre Sr. A. João Soares,

      Li esse artigo partilhado por si, no Face e se não respondi é porque muito mais teria a dizer. Trabalhei numa Grande Empresa que destruíram. Dela, apenas, existe reminiscência. Trabalhei desde muito jóvem e estive durante cerca de 30 anos como Quadro Superior, em Gestão de Recursos Humanos. Esta Grande Organização tinha 22.000 trabalhadores. Era um monopólio e multinacional. Tinha um sistema se Caixa de Previdência própria. Nesta Empresa havia tudo... Tudo de bom que destruíram. Conheço perfeitamente a situação dos reformados e não se podem meter todos no mesmo saco. Há situações que desconhecem e não lhes interessa falar porque são casos raros e nem lhes interessa. Há reformados e reformados.Mas já agora, apenas digo que os reformados não pagavam impostos porque o dinheiro dos reformados foi tributado em devido tempo. Nisto, por exemplo, também ninguém fala, porque há muitos corruptos incompetentes que vêm tudo às avessas porque não querem ver a realidade. Prefiro não falar e já falei muito... Muito grata pelo seu comentário. Abraço fraterno,

      Eliminar