segunda-feira, 30 de dezembro de 2013

Mensagem de Ano Novo 2014





 
Surge o Ano Novo
no ciclo ontológico da natureza
e com ele o renovar
perene de toda a beleza
criada por Deus
para os filhos seus.
 

O Ano Novo
que, agora, começa
no calendário cristão,
é no tempo
mera ilusão.
O tempo não existe;
é uma abstração.
 

O real Ano Novo
é o completar de um ciclo
de eterno retorno,
que, agora, de novo começa
e com ele toda a natureza recomeça,
se renova
dando-nos disso prova.
 

É a dinâmica do Universo
na sua permanente mutação
e renovação
de toda a criação.
 

Também nós, humanos,
todos os animais
e todas as criaturas,
por Deus criados
porque por Ele amados,
seremos, agora, renovados.
 

Tal como a natureza
no seu perene renovar,
também nós, humanos,
nos poderemos renovar
fazendo surgir,
dentro de nós,
o Homem (ser humano) Novo
seguidor da mensagem
que Cristo nos veio deixar,
fazendo do mundo em que vivemos
um mundo de paz,
de amor e fraternidade,
completando o ciclo eterno da renovação.
 

Depende de nós todos,
unidos pelos laços da fraternidade,
fazermos surgir
uma nova sociedade! 
 

Oxalá que, aqueles
que pelo povo eleitos
para o servir,
possam seus corações abrir
tornando-se mais justos,
humanos e fraternos
para com todos nós,
seguindo a Mensagem  
que Cristo nos veio deixar,
A Mensagem de Ano Novo.
 

Feliz Ano Novo para todos nós!

                       «»                                     

                             Zélia Chamusca
Poema de - Zélia Chamusca
Fonte de imagem - google

quinta-feira, 26 de dezembro de 2013

Adeus! Meu Velho Pai Natal!



















Meu Velho Pai Natal,
Espera, não te vás embora,
Olha, a última coisa que te peço,
Atende-me que eu bem mereço!
Não te vás embora, agora!
Atende-me sem demora:
Não leves teu saco vazio!...

Faz com que todos os criminosos
Que cometem crimes dolosos
Contra a humanidade,
Sejam condenados
E obrigados a pena cumprir,
Não andem à revelia,
De nós de estão a rir,
Sempre no mesmo crime a reincidir!

Leva-os no teu saco
Bem fechado e apertado,
Para bem longe de nós,
De nós, pessoas de bem,
Que queremos para todos o Bem!

São verdadeiros Herodes,
Que, lentamente,
Tortuosa
E cobardemente,
Pretendem matar,
Exterminar
O indefeso:
Pobres, velhos e doentes… 


Leva-os no teu saco bem fechado
E apertado!
Não os deixes fugir
Têm que a pena cumprir!
Não a pena capital,
Não, não… É Natal…
Mas, leva-os para bem longe…
Para que nos livremos,
Para sempre, de todo o mal!

Leva no teu saco,
Bem fechado e apertado,
Essas almas amaldiçoadas,
Para as profundezas da Terra,
Para junto de Hades
Lutar com os Titãs,
Para o calabouço,
Para o poço de Tártaro,
Aí, já não os ouço! 
Meu Velho Pai Natal,
Livra-nos destas almas
Amaldiçoadas,
Para que vivamos em paz e fraternidade
No mundo de felicidade
Até á vitória final! 

Adeus! Meu Velho Pai Natal!

                      «»
Poema de - Zélia Chamusca
Fonte de imagem - Google

quarta-feira, 25 de dezembro de 2013

Presentes


 



   
 

 
 
Este dia de Natal
Já está chegando ao fim.
O que dele nos fica, afinal?
 

Dádiva de  amor,
Troca de presentes,
De alegria,
De ternura,
De calor
Temperado de doçura,
De lembrança
Dos ausentes
Presentes.
 

Neste dia de Natal,
Quantos, quantos
Sofreram a perda 
De seus queridos entes,
Que na sua ausência,
Porque são essência,
Se tornaram presentes?

 
 
Natal é momento
No ciclo ontológico do tempo,
É vida em renovação,
É Criação,
Fé e oração.
 

E a realidade
Desta dimensão
É a verdade
Que entende
Corpo e alma
Como ente
Recebido da essência 
Que o torna ser
Sempre Presente.

                                    
          

       
Poema de - Zélia Chamusca
Fonte de imagem -Google

Presente de Natal/2013 - A Natividade




O mais belo presente que recebi neste Natal de 2013


O presente de Natal
Que tanto me fascinou
É o meu presente mais real
Do quanto Jesus amou.
 

É de todos o mais belo
Daqueles que recebi
Dum encanto tão singelo
Entre todos os que eu vi.
 

Jesus lembrou-se de mim
Enviando-me este presente,
Sua imagem tão bela, assim…
Rejubilo de contente!
 

Ele mandou-me um amigo,
Mensageiro do Natal,
Mensagem que não consigo
Dum permanente Natal.
 

De Jesus, Natividade,
Imagem sempre presente
Da pura afetividade
Que Ele, Jesus, por nós sente.
 

Tão linda a Natividade
Numa oferta de Natal!
É tanta a felicidade
Que marcou este meu Natal!
                   «»
 


Poema  e foto de  - Zélia Chamusca
 

domingo, 22 de dezembro de 2013

Neste Natal parem para pensar



 
 

Parem para pensar
que  um outro caminho
deveis encontrar…
 

Parem!
Parem para ver
que num mundo transtornado,
louco e tresloucado
nós estamos a viver…
 

Parem!
Parem para pensar,
pois, basta olhar
à nossa volta
e ver a revolta
daqueles a quem
tiram o pão!...
E já tantos são…
Ajam por bem,
não tendes coração?!
 

Neste Natal,
parem para pensar
que um outro caminho
deveis encontrar
para seguirdes a Mensagem
que Jesus, de novo,
nos vem deixar…
         «»


Dedico a todos os governantes do mundo para que não mais haja gente na rua ao frio, à chuva, à fome...
                  
Poema de - Zélia Chamusca
Fonte de imagem - Google


STOP TO THINK THIS CHRISTMAS

Stop to think
Another way that
ye shall find ...

Stop it!
Stop to see
that in a world tormented,
crazy and insane
we are living ...

Stop it!
Stop to think,
because, just look
about us
and to see the revolt
of those
who have no bread!...
And since so many are ...
Acting for good,
you have no heart?!

This Christmas
stop to think
Another way that
ye shall find
should follow the Message
Jesus, again,
come let us ...
          «»


I dedicate to all the rulers of the world so there are no more homeless in the cold, rain, hunger ...

Poem - Zelia Chamusca
Image source - Google

sábado, 21 de dezembro de 2013

Natal 2013




















Poema e formatação de - Zélia Chamusca
           Fonte de imagem - Google

terça-feira, 17 de dezembro de 2013

Dobram os sinos chorando...




 

Dobram os sinos chorando…
No mundo a ausência de amor
Onde tanta gente sofre
Porque há quem lhes cause a dor!
 

Dobram os sinos chorando…
No mundo em que não há paz
Guerreiam pela ambição
Que tanta miséria faz!
 

Dobram os sinos chorando…
Porque não ouvem a mensagem
Que Jesus nos vem lembrar,
Quando a vida é uma passagem…
 

Dobram os sinos chorando…
No mundo a ausência de amor
Amemo-nos uns aos outros
Disse-nos o Salvador.
 

Dobram os sinos chorando…
Por tanta tristeza e dor,
Tantos que ficam sem pão,
No Natal, dia do Senhor.
 
 
Dobram os sinos chorando…
No dia de Santo Natal,
Se Natal é só este dia;
É porque não há Natal!
 

Dobram os sinos chorando…
Façamos de nossas vidas
Um permanente Natal
P’ra que os sinos soem cantando!
                      «»

                             Zélia Chamusca
                               
                                    Natal 2013
Poema de Zélia Chamusca
Fonte de imagem - Google

domingo, 15 de dezembro de 2013

Poema de Natal


 

 

O amor é espírito,
É imortal,
O amor não morre
E eu amo-vos tanto!...
 

Sei que também,
Aí, no Além,
Continuaremos a amar-nos…
 

Neste Natal de Amor
Juntos estaremos
E celebraremos,
Em espírito, o Amor.
 

O Amor é espírito,
É imortal,
E, porque imortal,
Continuaremos
Juntos no Amor
A celebrar o Natal!


        
Poema de - Zélia Chamusca
Fonte de imagem - Google

quarta-feira, 11 de dezembro de 2013

Carta ao Pai Natal








Meu Velho Pai Natal, 


Sei que já escreveram para ti,
consta no orçamento
que no próximo Natal
o (des)governo e parlamento
irão receber a dobrar
o subsídio de Natal!...

Peço-te, Meu Velho Pai Natal,

Não lhes  dês esse presente
manda-os plantar couves
para a ceia de Natal!...

Sabes, esse dinheiro
é do velho reformado
que descontou do seu ordenado
e também a entidade patronal,
durante uma longa vida,
para que tivesse o subsídio de Natal,
cujo roubo foi declarado inconstitucional
pelo Tribunal Constitucional,
o roubo ao velho reformado!...

Vê bem o que, agora fizeram…
Estes imberbes fedelhos
que não respeitam os velhos,
nem a lei constitucional
continuam a roubar
aos velhos, o subsídio de Natal
e, querem para eles o presente a dobrar
e, também para o parlamento
para a  boca lhes calar !...

Meu Velho Pai Natal,

Faz o que eu te peço:
Rasga bem essa carta – o Orçamento do Estado;
Manda-os ir para outro lado;
Manda-os ir plantar as couves
para a ceia do Natal!...

Meu Velho Pai Natal,

Distribui os teus presentes
pelos pobres e doentes,
e pelos velhos que muito trabalharam
para  que a estes imberbes fedelhos,
que não respeitam os velhos,
fossem conferidos privilégios
que eles nunca usufruíram!...

Meu Velho Pai Natal, 

Manda  estes imberbes fedelhos,
repito, que não respeitam os velhos
que por eles são espoliados,
humilhados, desrespeitados
e, tão mal tratados...
Manda-os para a escola pedagógica
receber lições de moral, de ética,
de respeito e de dignidade!

               «»
 

http://narcisodosbosques.blogspot.pt/2013/02/quadrilha-de-ladroes.html


Poema de - Zélia Chamusca
Fonte de imagem - Google

segunda-feira, 9 de dezembro de 2013

Apartheid Século XXI




 

Este apartheid do século XXI,
É um método atual de segregação,
Que atinge indefesos p’la corrupção
Dum grupo em que não se salva nenhum!
 

Quem paga a crise são sempre os mais frágeis,
Crise que criaram os que se bastaram.
Destruíram tudo, tudo consumaram.
Corruptos, ambiciosos tão insaciáveis!
 

É a segregação de classes sociais:
Ferir velhos que tanto trabalharam
E os de baixas tabelas salariais…
 

Meu Menino Jesus, sacia estes homens…
Leva-os p’ra bem longe, não te peço mais,
Longe… para o inferno; eles nos consomem!...

                                  «»

               
 
Poema de - Zélia Chamusca
Fonte de imagem - Google