sexta-feira, 1 de novembro de 2013

Morte




 

 Tua imagem é horrenda,
 Tremenda,
 De total destruição,
 Pois, levas nossos amados,
 Finados…
 

 Levas nosso coração!... 
 

 És negridão,
 És ausência de cor,
 És dor,
 És desamor,
 És sofrimento, paixão,
 És solidão!...
 

 És a tristeza,
 És bruteza,
 És dor,
 És caos perturbador!...
 

 És fim…
 

 É preciso ter fé e acreditar,
 Para a dor eu suportar,
 Que és transmutação
 E não morte…
 

 Que és princípio,
 És renovar…

     


 
 
Poema de - Zélia Chamusca
Fonte de imagem - Google

2 comentários:

  1. Cara Amiga Zélia

    É uma situação sem remédio, uma porta que se fecha definitivamente, o fim de uma viagem. Nada a fazer para a evitar, por mais que consigamos o seu adiamento. E custa mais aos que se apegam totalmente às coisas materiais que nesse momento têm de deixar. Daí, que devamos dar prioridade ao SER e não ao TER. A melhor forma de morrer é com a consciência de que a vida foi positiva e ficarão muitos a lamentar a nossa partida. Já que nascemos a chorar será bom que os outros tenham razões para chorar a perda de um bom amigo, companheiro, familiar.
    Tenhamos pensamento positivo e comportamento exemplar.

    Beijo
    João

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Amigo, Ilustre Senhor A. João Soares,

      Este dia especifico, é-o, apenas, na simbologia da religião católica, porque todos os dias da minha vida (e para os que em sentimento a mim se assemelham) serão dias eternamente saudosos, porém vividos na presença espiritual e permanente daqueles que, fazendo parte do meu quotidiano, do meu coração e da minha vida, tiveram que partir.

      Muito grata por sua carinhosa e reconfortante presença.

      Beijinho,

      ZCH

      Eliminar