segunda-feira, 4 de novembro de 2013

Dia Mundial da Poupança

 
 


Não tenho qualquer lembrança
De ouvir falar em poupança,
Agora, por todo o lado
É o tema que é mais falado.
 

Não dá para compreender…
Tantos pobres a sofrer,
Como falar em poupança?
É sobre os que enchem a pança?
 

É poupança e mais poupança…
Hoje é dia da poupança,
Um célebre DIA MUNDIAL,
Uma data tão especial!
 

Célebre trinta e um de Outubro!
Que me deixa mesmo ao rubro!
Fico mesmo tão irritada
Porque não entendo nada!...
 

Como poderei entender
Este célebre dia haver
Para homenagear ladrões
Que nos roubam os tostões?
 

Os ladrões podem poupar
Com os pobres a ficar
Muito mais empobrecidos
Por estes grandes bandidos!
                     «»

                                 Zélia Chamusca

                                          31-10-2013

 

 
Dia Mundial da Poupança instituído em 31/10 de 1924, no primeiro Congresso Internacional de Economia, em Milão.
    Um célebre dia tão atual e tão badalado…
Claro, estamos a regredir para o início do século passado…

 

Poema de – Zélia Chamusca
Fonte de imagem - Google

2 comentários:

  1. Têm sido comprados muitos carros de alta cilindrada e marcas pouco conhecidas e esses compradores além de bons caros podem fazer poupança e investir em «offshiores. Entretanto a maior parte da população aperta o cinto à volta de vértebras descarnadas. Há bairros no Porto onde a EDP f«cortou o fornecimento de emergia e estão com receio de também ficarem sem água, o que representa uma forma primitiva de eutanásia, uma morte imposta pelo poder do capital contra os desprovidos das mínimas condições de sobrevivência. O exagerado apego ao dinheiro, a ânsia de mais e mais lucros sem olhar a formas de os adquirir é a droga mais perigosa do mundo actual, porque acaba de matar inocentes enquanto os viciados na acumulação de fundos, ficam a rir-se com a subida do seu saldo.
    Triste a vida de hoje e grande o receio da forma como se sofrerá amanhã. Até quando? Qual será a bomba atómica dos pobres e famintos???

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro Amigo, Ilustre Senhor A. João Soares,

      O seu comentário sufoca-me pela realidade angustiante que transmite.

      Tanta gente na pobreza e até a estes roubam. E eles não se privam de nada, pelo contrário enchem-se e fazem sair o dinheiro para os paraísos fiscais e depois vêm dizer ao pobre para poupar. Eu revolto-me com isto! Se a maioria das pessoas não têm condições económicas para viver com dignidade, vêm dizer para poupar. É como virem dizer que andámos a gastar demais...

      Não há palavras...

      Muito grata por seu sabedor comentário que muito complementa e enriquece a imagem que tentei transmitir nas minhas simples quadras.

      Beijinho,
      ZCH

      Eliminar