segunda-feira, 21 de outubro de 2013

Perdeu-se a ética







 Perdeu-se a ética
na ausência da moral
na conduta humana,
no que concerne
ao Bem e ao Mal.
 

Perdeu-se a ética
na sensibilidade,
no pressuposto desconhecimento
face á sociedade.
Perdeu-se a moralidade!
 

Perdeu-se a ética
no pretenso paradoxo da verdade
dispersa na provocatória
 de mente ilusória,
ignorância da sociedade!
 

Perdeu-se a ética
na mentira exclusivista
da falsa certeza
do pensamento individual,
dum único ponto de vista,
entre alguns, exclusivista,
que é fonte geradora do mal!
 

Perdeu-se a ética
no engano desumano
da mentira,
em que certo humano
toma como certa
a presa atingida pela seta!
 

Perdeu-se a ética
na ausência do Bem,
flagelada pela presença do Mal
sob as lanças mortais
dos hominídeos atuais!
             «»
 
 
Poema de - Zélia Chamusca
Fonte de imagem - Google

 

6 comentários:

  1. A sociedade actual está em degradação acelerada. É provável que não seja grande a percentagem de pais que saibam responder aos filhos se estes lhes fizerem a pergunta da imagem do topo desta bela poesia.
    Temos que assumir o conselho dado no texto do post
    EU QUERIA QUE, NO AGORA, O PLANETA FOSSE ASSIM

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá, Ilustre Amigo, A. João Soares,
      Sabe que eu já vivi num mundo assim como o do vídeo e fui educada neste contexto?
      Por vezes interrogo-me se era de facto um mundo assim ou teria eu outros olhos?
      Não, era mesmo um outro mundo um mundo de cooperação, respeito pelo outro, interajuda, de honestidade e de fraternidade.
      Por isso tenho muita dificuldade em me movimentar no mundo em que vivemos hoje e quanto mais eu acredito nos outros e os ajudo, mais ingratidão me vem cair em cima. Também me interrogo se não estarei predestinada para viver o que vivo neste nosso mundo? Mas, se cada um de nós vir no outro um irmão a quem amamos (há quem nem o irmão ame, nem pai, nem mãe) e eu amo tanto os meus... Mas, dizia, se cada um de nós virmos no outro um irmão a quem amamos, de certo o mundo será bastante melhor. É só nós querermos, mas, teremos que ser todos.
      Fraternidade para si e para todos nós,
      ZCH

      Eliminar
  2. Infelizmente também compactuo com sua indignação!
    Teus belos versos apontam em riste toda a falsa moral de uma sociedade sem discernimento de uma educação de qualidade. O que resulta, em adultos que jamais terão a menor noção do que seja um bom caráter.
    Poema bastante relevante.
    Parabéns.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi! Querida Monica!

      Só agora vi o seu comentário neste poema.

      Grata pela sua sempre tão agradável presença.

      Beijinho,

      ZCH

      Eliminar
  3. Amiga Zélia Chamusca

    O seu comentário contém uma resposta muito bem explicada, Mas, afinal, tudo se resume a uma pequena norma: «respeitar os outros tal como desejamos ser respeitados».

    Há dias recebi um balde de água fria. Ainda penso que tenha ouvido mal. Uma senhora de cerca de 50 anos que tenho em bom conceito falava com apreço de uma opinião que condena a «propaganda do pensamento positivo», porque se ensinarmos os filhos a seguir valores éticos impecáveis, eles acabarão por ser uns falhados e enganados por todos os outros que os ultrapassam em tudo. Realmente um puro e ingénuo tem de sobreviver e ter consciência dos perigos que corre mas deve aproveitar as oportunidades para fazer a pregação da sua moral e procurar melhorar os outros, a pouco e pouco. Perante tal lição os outros certamente pensam nisso e acabarão por moderar o seu egocentrismo competitivo pelo vil metal e, devagar, se melhorará a humanidade.
    Vamos aqui batendo nesta tecla até criarmos uma orquestra bem audível!!!

    Beijo
    João

    ResponderEliminar
  4. Olá Amigo Ilustre A. João Soares,

    Essa Senhora teve outra educação diferente da nossa e por isso ela transmite aos filhos o que ela tem lá dentro.

    Sintetizo:

    «Pilriteiro, dás pilritos
    Porque não dás coisa boa?
    Cada qual dá o que tem
    Conforme a sua pessoa.»

    Cada um dá o que tem e a mais não é obrigado...

    Fico muito feliz com sua ilustre e agradável presença que muito enriquece este espaço.

    Muito grata e beijinho,
    ZCH

    ResponderEliminar