terça-feira, 29 de outubro de 2013

Estado de Vilanagem







Aprendi que a trabalhar
Seria útil à sociedade,
Agora, basta-me olhar
P’ra ver outra realidade.

Há neste velho país
Uma tão grande indecência,
Nada tem com o que fiz
Da minha vida a vivência.


Trabalhei para construir,
No caminho que tracei,
O que vim a conseguir
Que é fruto do que ganhei.


Ganhei-o com trabalho honesto
No caminho então traçado,
Agora, tudo é funesto…
Chegámos a este estado:

Estado de vilanagem
Que, apenas, é destruição
Causada pela pilhagem
Que tira aos pobres o pão!
              «»


Autora - Zélia Chamusca
Da obra -  UM MUNDO MELHOR
Chiado editora
Fonte de imagem - Google

6 comentários:

  1. Pilhagem generalizada, mas legal porque quem pilha é que faz a lei.
    E a lei, por vezes, é elaborada para confundir a própria Justiça e anular a sua acção. Isto não é fantasia, pois basta ler as notícias de várias decisões judiciais contraditórias acerca da lei de limitação dos mandatos autárquicos...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá ,Ilustre Senhor A. João Soares,

      É como diz relativamente à forma como as leis são elaboradas, ou (digo eu) explicitadas. Lembra-me o oráculo das pitonisas. Dá para qualquer lado...
      A isto eu chamo desonestidade!

      O que escrevi não considero poema, tem a forma poética, em redondilha maior e tentei traduzir o Estado de Vilanagem no nosso país!

      O que traduzi não é fantasia é a realidade sintetizada.

      É lamentável...

      Fico feliz com a sua sempre tão agradável e ilustre presença.

      Muito grata e beijinho,
      ZCH

      Eliminar
  2. Correndo o risco de ser maçador, por tanto comentar, na verdade é tão simples para quem sabe, explicar em poucas palavras o estado de espírito de alguns milhões de pessoas que, noutras latitudes seriam respeitadas, veneradas até, por terem dado origem ao que É hoje. A ganância é uma doença da sociedade, sem códigos de honra, sem ética, sem contemplações. Obrigado Zélia Chamusca por nos mostrar com simplicidade o resumo de 20 anos de governação infame. Beijinho. ABS

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá, Amigo e Colega de tantos anos de vivência no mesmo mundo, que nada tem a ver com este em que hoje estamos a viver.

      É sempre com muito agrado e felicidade que leio e aprecio o seu comentário que muito enriquece este espaço.

      Grata e beijinho,
      ZCH

      Eliminar
  3. Lamentável tudo isso!
    Mas não perco a fé em nossos povos.
    Belo poema apesar de triste.
    Parabéns.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi! Querida Poetisa, Monica Pamplona!

      É muito triste mesmo, o Estado de Vilanagem, mas sua agradável presença enche minha alma de alegria para enfrentar a vilanagem, repito, neste belo dia em que, sendo outono um pouco frio, está o sol a brilhar! E como já reparou ele ilumina e aquece minha alma, corpo e espírito!

      Um bom dia para si.

      Beijinho,

      ZCH

      Eliminar