sexta-feira, 17 de maio de 2013

O Desemprego a Acabar!



                                                            










O desemprego a acabar,
Encontrada a solução:
O IRC irá baixar
Para ajudar o patrão!
 

Eles não podem pagar
É o pobre reformado
Que a crise vai suportar
C'os impostos a aumentar.
 

Vamos todos trabalhar.
O desemprego acabou
O patrão  pode pagar
Porque o IRC baixou!
 

A economia a aumentar,
A recessão já baixou,
Portugal está a singrar,
No bom caminho ficou!
 

É preciso trabalhar
Para baixar o IRC
E o reformado a pagar
Vamos saber para quê:
 

A competitividade
Irá poder aumentar
Porque os da terceira idade
Irão, também, trabalhar!
 

Sim, também, os reformados
Vão passar a trabalhar!
Não só os privilegiados,
Vão todos colaborar!
 

E o princípio da igualdade
Para sempre se firmar
Acabar com a desigualdade
Não os mesmos a pagar!
 

P’ra mais impostos pagar,
P'ra si, quarenta por cento,
Todos irão trabalhar!

Comemoremos o evento!

               

 
Poema de - Zélia Chamusca
Fonte de imagem - Google

8 comentários:

  1. Cara Amiga Zélia Chamusca,

    Este poema quase parece uma colagem das «intenções», promessas, comunicações e hesitações dos actuais mandantes, que parecem não ter definido um objectivo e uma estratégia, com rumo difundido aos portugueses de forma a levantarem o moral e terem esperança no futuro, no resultado dos sacrifícios que têm sido obrigados a suportar.

    Parabéns pela sua intenção de «mudar o Mundo». Continue a merecer as palavras de Guilherme Duarte no prefácio da sua última Obra: «Como artistas que são, os poetas conseguem transmitir os seus sentimentos com a força, a objectividade, a lucidez e a contundência que só está ao alcance dos eleitos que são capazes de compatibilizar o talento com a inteligência e a sensibilidade que possuem para combater o bom combate»

    Desejo-lhe saúde para continuar atenta ao mundo que temos que mudar e poder prosseguir a expressão dos seus sentimentos, com a beleza a que nos habituou.

    Beijos
    Jpão

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro Amigo, Ilustre Senhor A.João Soares,

      Bastaria este seu comentário para merecer toda a minha consideração.

      Agradeço, sinceramente, suas tão gentis palavras de que não me considero, assim, merecedora.

      O que escrevi em "O Desemprego a Acabar", que não considero poema, é um grito de revolta pela insensatez, incoerência e desumanidade que vejo em quem tem o Poder e se julga Senhor do Mundo querendo-o, ou parecendo querê-lo, só para si próprio...

      Esta é a minha participação na luta para que todos nós não tenhamos medo de lutar por um Mundo Melhor, mais justo e fraterno.

      Reitero meus sinceros agradecimentos pela sua presença, neste espaço, com seu tão agradável comentário, e, um abraço fraterno,
      ZCH

      Eliminar
  2. Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

    ResponderEliminar
  3. Mensagem deixada por Mano a Mano que apaguei por lapso:

    Querida amiga, tal como o cantor, o poeta pode ser um autêntico guerrilheiro das ideias que, não provocando como o que luta no terreno explosões corpóreas, pode antes fazer despertar consciencias. Claro que ambos, quando bem sustentados ética e culturalmente não serão "naif", por isso "um grito de revolta pela insensatez, incoerência e desumanidade que o poeta vê em quem tem o Poder e se julga Senhor do Mundo querendo-o, ou parecendo querê-lo, só para si próprio" parece ser uma escolha que me merece o maior dos aplausos.
    Felizmente vivemos numa época e num tempo que faz emergir matérias para reflectir sobre a nossa dimensão na cidadania e na solidariedade com os seres que sendo iguais, serão muito diferentes entre si. Mas sinto que estamos muito próximos, o poeta e o humilde consumidor de poemas. Bem haja

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Adriano, já lhe disse pela mensagem que enviei que por lapso apaguei o seu importante comentário.
      Se puder volte a comentar mas resolvi assim e vou responder:

      O que escrevi acima não é um poema, não tem fantasia, não tem lirismo,não tem qualquer tipo de transcendência. Traduz sim a minha revolta pela incoerência, incensatez, egoismo, desumanismo, e, nem há palavras para exprimir o que estamos a viver. Não admira termos sensibilidades semelhantes porque vivemos no mesmo meio muitos anos de juventude. E, vivemos hoje governados por inergumenos que jamais vimos!
      O que escrevi é, repito um grito de revolta que não é poema são versos escritos em redondilha maior que traduzem a dura realidade da incoerente governação que destroi este país. Veja que nem os patrões que são mais sensatos que os (des)governantes concordam com esta medida...
      Grata, por sua visita a este meu espaço que preparei para vós.
      Beijinho,
      ZCH

      Eliminar
  4. Não diga que o desemprego vai acabar mas, com certeza, está a diminuir para os bafejados pelo hálito dos detentores do Poder. Aumentam os OBSERVATÓRIOS e são criados mais lugares de ministros, de Secretários de Estado, com as relativas equipas de «utentes» de mordomias e mais comissões, grupos de trabalho, etc.
    Os vírua que devoram o dinheiro público são seres vivos e não param de mexer e de se multiplicar. E as benesses, durante dois meses de preparação da eleições autárquicas, vão sendo sistematicamente distribuídas para os eleitores privilegiados. Os outros vão sendo «contemplados» com promessas de melhorias, fantasias utópicas de risonho porvir, etc.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Amigo e Ilustre Senhor A. João Soares,

      Eu digo que o desemprego vai acabar por ironia, porque ouvi dizer ao nosso PM que baixando o IRC as empresas teriam mais possibilidades de criar novos postos de trabalho e reduzir o desemprego... E, foi quando escrevi isto.
      Ele ainda não se lembrou de que há uma forma mais eficaz para criação de novos postos de trabalho e redução do desemprego.

      É:

      Não pagar salário aos trabalhadores. Eles podem trabalhar de borla. Como o trabalho é a nossa manifestação enquanto seres humanos, vamos todos trabalhar de borla para ajudar o patrão!!!

      Desculpe, Caro Senhor A. João Soares, mas não tenho outra forma de visão!

      Aumentaram-nos, brutalmente os impostos e, coitados dos patrões, vão baixar-lhes o IRC.

      Quem ganhará com isto são os Grandes Empresários (poderia citar as empresas, mas não quero).

      Nós iremos ficar ainda mais sobrecarregados porque teremos que suportar os encargos desta redução...

      É como diz e muito mais haveria para dizer.

      Sintetizo:

      É a corrupção que paira em quem tem o Poder e que prolifera por todo o mundo. Estes a quem demos o Poder não são humanos são monstros!!!

      Grata por mais este seu enriquecedor comentário e beijinho,
      ZCH

      Eliminar