domingo, 31 de março de 2013

Mensagem do Papa Francisco no Domingo de Páscoa



                                                             


Hoje, Domingo de Páscoa, depois da missa (pela primeira vez sem homilia), o Papa Francisco percorreu o centro da Praça de S. Pedro e deu-nos a melhor mensagem de amor, num contexto de renovação da Igreja Católica com um novo “modus vivendi” que o Papa Francisco preconiza e segue numa “praxis” inovadora e livre.

Comoveu-me o carinho com que recebeu em seus braços alguns bebés e algumas crianças e as beijou; duas deficientes.

Vi-as sorrir ao afago do Papa Francisco como se recebessem um sopro divino.

Quem sabe se elas não teriam melhorado da sua enfermidade?

O Papa Francisco praticou este gesto com amor e carinho e isso foi manifesto na sua própria felicidade, traduzida na alegria do seu sorriso abençoado, que transmitiu às crianças.

Depois de, neste percurso ter saudado toda a multidão que, entusiasticamente, o aplaudia repleta de felicidade, fé e esperança num mundo novo de paz e fraternidade, o Papa Francisco subiu à varanda para a bênção “Urbi et Orbi” e apelou à paz no mundo, tendo referido, especialmente, a guerra no Médio Oriente entre israelitas e palestinianos, bem como noutros países, nomeadamente, a Síria, a África e a Ásia, a atual situação coreana.

Referiu, ainda, o egoísmo que leva aqueles que procuram dinheiro fácil através do narcotráfico e do tráfico de pessoas que conduzem à escravidão, tendo apelado para que se deixassem levar pela misericórdia de Deus e a força do amor de Jesus.

A Mensagem da Páscoa,(1) que o Papa Francisco nos transmitiu, hoje, Domingo de Páscoa, é a passagem à vida para  um mundo de  Paz, de  Amor e de Fraternidade.
                                                     «»

                                                                                                            Zélia Chamusca
(1) Páscoa - significa passagem e tem origem empessach” em hebraico através do termo grego, Πάσχα.

Imagem fonte Google - Papa com criança deficiente ao colo, beijando-a.

                                                         

sexta-feira, 29 de março de 2013

Páscoa é ressurreição




       
















 

Nós a Páscoa celebramos
Com doces e amêndoas,
Mas, nem sequer paramos
Para pensar,
O que este tempo da Páscoa
Pode para nós significar. 

Páscoa é ressurreição,
Passagem da morte à vida
Em Cristo consubstanciada. 

Vida de Amor
Por todos nós desejada
E, tão distante, afastada… 

O Filho de Deus
Foi crucificado
E na cruz por nós sofreu,
Por amor
Padeceu
E em sua dor
Por nós morreu. 

Mas, ressuscitou,
Renasceu
Para a vida nos dar. 

Vida de paz,
Vida de amor
A todos nos veio ensinar,
No mundo em comunhão
Com o outro, nosso irmão

              «»
                                Zélia Chamusca

Poema de -  Zélia Chamusca 
Reeditado
Fonte de imagem - Google

quinta-feira, 28 de março de 2013

Depende de nós criarmos as novas circunstâncias


 
 

Nascemos livres,
somos donos de nossa vontade,
de nossos sonhos
e depende de nós a felicidade.
 
A razão da nossa vida
somos nós próprios.
De nós depende a paz interior
e o projeto da nossa vida
que é um permanente
projetarmo-nos no futuro.
 
Somos parte de divino
que devemos procurar,
dentro de nós,
em cada instante de nossas vidas.
Se o fizermos,
encontraremos a felicidade.
 
Busque esta parcela de divindade
dentro de si,
e, aí, encontrará a felicidade.
 
Não esqueça
que a vida é projeto permanente
e depende de si,
de mim
e de todos nós,
concretizá-lo face às circunstâncias.
Embora, tenhamos sempre presente
que poderemos mudar
as circunstâncias.
 
Sim, depende de cada um de nós,
criar novas circunstâncias
para um mundo melhor
de paz e fraternidade.
                          Zélia Chamusca
 

 
  

Da obra - A  MENSAGEM - Podemos Mudar o Mundo
                Chiado editora

domingo, 24 de março de 2013

Agradecimento


 
 
 
 

Deixo, aqui, a todos os que estivestes presentes, neste interessante evento, a minha gratidão pela felicidade que de vós colhi.

Senti que estáveis comigo no interesse manifestado, em que todos estivemos envolvidos;

Senti que houve uma empatia contagiante na alegria manifesta entre todos os presentes;

Senti, sobretudo, a força que me transmitistes e que não esquecerei, que se traduz no ânimo em prosseguir neste género literário, género lírico, desafiando a lira, através da musicalidade das palavras, em tons e semitons doces e amargos, alegres e tristes, mas, sempre belos e coloridos, que pintam o quadro de nossas vidas.

A poesia não serve, apenas, para cantar o amor, serve também como arma de arremesso, de protesto e de denúncia pelo mal que deflagra no mundo, e, que, aqui, nós estamos a sofrer.

É uma arma munida com a musicalidade das palavras que traduzem o sentimento generalizado, não só nosso, mas, infelizmente, de toda a Europa.

Estou certa que A MENSAGEM trará seus frutos no sentido do alerta e convite à reflexão com a certeza de que – Podemos mudar o mundo.

Sim, todos nós unidos, ligados pelo elo da fraternidade mudaremos o mundo!

Muita fraternidade para todos nós,

                                                                Zélia Chamusca

                                                                             2013-03-24


quarta-feira, 20 de março de 2013

Convite

Espero por vós.
Ireis passar uns momentos agradáveis neste verdadeiro show de poesia interventiva.


SINOPSE DA OBRA

A MENSAGEM é um convite, para todos nós, à reflexão e ação no sentido de que podemos mudar o rumo dos acontecimentos, enquanto seres humanos livres, e, como tal, responsáveis por nós próprios, pelas coisas e pelo mundo. Somos parte dum colectivo social, isto é, duma sociedade em que estamos, naturalmente, inseridos e nela devemos atuar no caminho de um mundo melhor e mais justo, de fraternidade e de paz.
ZCH

domingo, 17 de março de 2013

É loucura...


Oh! Meu Amor,
Porquê neste estado,
Meu corpo trémulo
E sedento
De desejo insaciado
Nunca antes experimentado? 

Oh! Meu Amor,
É loucura…
Que se apossou de mim?
Porque te desejo assim?... 
Que feitiço?
Porquê esta ânsia?...
Me enfeitiçaste à distância
Com o feitiço de teu meigo olhar
Que me diz que só a mim
Irás para sempre amar... 

Oh! Meu Amor,
Tão difícil suportar
Este louco amor
De insano desejo
Que me faz vibrar
Por te querer amar!... 

Por te desejar
Neste estado de loucura,
De lasciva abertura
Para te receber
Bem dentro de mim,
Do meu ser,
Todo te quero ter… 

Minha pele ávida de carícias
Reclama um beijo teu
Que cubra o corpo meu
Como um manto acolhedor
De aconchegante amor
Que me conduza ao Céu 
Onde estaremos sós,
Apenas, nós,
Em simbiose – Tu e Eu!...
                                                                   «»

Da obra - PARTE  DE MIM
Edições Vieira Silva
            

quarta-feira, 13 de março de 2013

Contágio



                                    

O contágio que eu receio,
Neste incoerente meio,
Não é o contágio do amor,
Nem o contágio da dor,
Porque estes em mim estão
Dentro do meu coração... 

O contágio que eu receio
De todo o lado ele veio,
É a insensatez que eu receio…
É a epidemia no seio
Das relações que não creio!...    
                                      
 

                                                     
                                                                  Zélia Chamusca
Poema de - Zélia Chamusca
Publicado em:

PEAPAZ
Revista Virtual
Paralerepensar
AVSPE
e outros

terça-feira, 12 de março de 2013

O tempo psicológico




 

 


Porque é o tempo tão lento,
Passa tão devagar,
Se  à tua espera estou,
Só tua sou
E te quero amar?… 

E, quando o tempo
Finalmente, chegar
E eu te puder abraçar,
Vai ser tão rápido
Como um sopro no ar,
Que se esvai
Num simples ai,
Mal teve tempo de soar
No curto tempo para amar!... 

Que é o tempo afinal?

O tempo é psicológico
E é lógico
Que é mera criação mental! 

Mas, para quem ama,
O tempo é a Eternidade!...

               «»


Da obra - PEDAÇOS DO MEU CORAÇÃO
Autora - Zélia Chamusca
Edições Vieira da  Silva

quinta-feira, 7 de março de 2013

Quero ouvir-te


 

Meu Bem, quero de novo te ouvir
Para tua emoção poder sentir... 

Fala-me de todo o teu saber,
De tudo... que eu gosto de aprender...  

Fala-me da Paz e da Amizade,
Diz-me, diz-me tudo da Verdade...  

Tuas palavras cheias de emoção
Me embalam numa suave canção...  

Fala-me de ti, de teu calor,
Sobretudo, fala-me de amor...
                          
 
                                                   Zélia Chamusca

              
Poema de -  Zélia Chamusca
Publicado em:
- Revista Virtual
- PEAPAZ