sexta-feira, 4 de janeiro de 2013

OS MAGOS DO ORIENTE

                                                             
                                    


Sandro Botticelli (1445-1510): "Adoração dos magos", por volta de 1473/75

                                      

OS MAGOS DO ORIENTE

Tendo, os magos, previsto
o nascimento de Cristo,
rei dos judeus,
que se chamaria Emanuel,
Deus connosco,
Filho de Deus,
e, tendo Herodes, rei da Judeia,
tomado conhecimento
do profético  acontecimento,
incumbiu os magos
de irem a Belém
procurar o Menino
dizendo-lhes que também,
ele, Herodes,  O queria ver. 

Assim, partiram os magos,
que não se sabe quantos são,
tendo como intenção
adorar o  Deus Menino.
A caminho de Belém,
tiveram por bem,
uma estrela diferente,
a estrela do Oriente,
de intensidade a brilhar,
e, sentiram que no caminho
para o Deus Menino
ela os iria guiar. 

Entre os magos nenhum era rei.
Eram magos, profetas,
que através dos astros previram
o nascimento Daquele que seria Rei.

Foram muitos os que caminharam
até que, finalmente,
sempre acompanhados
pela estrela  do Oriente,
a Belém chegaram.

Na casa entraram
com imensa alegria
e visitaram
o Menino com Sua Mãe Maria. 

O Menino adoraram
e jubilaram
felizes e contentes
oferecendo os seus presentes:
ouro, incenso e mirra.  

No regresso, tendo os magos
sido, em sonhos, avisados
das más intenções do rei da Judeia,
tiveram a boa ideia
de seguir  por outro caminho
e não mais voltar a Herodes. 

Assim, os magos regressaram ao seu país,
cada um deles o mais feliz!
                   «»



Escrito por - Zélia Chamusca
Fundamentado no Evangelho de Jesus Cristo segundo São Mateus
Fonte de imagem - Google

2 comentários:

  1. Cara Amiga Zélia,

    Aquilo que se faz com boa intenção, por prazer, resulta quase sempre num acréscimo de felicidade. Por isso os Magos regressaram aos seus lares felizes e tiveram o pressentimento ou aviso em sonho da cilada que lhes estava preparada r e evitaram-na. Quando os Estados enviam expedições de jovens soldados deviam meditar na finalidade a atingir, para evitarem penas e sofrimentos para inocentes. Tudo deve ser feito com boa intenção e propósito de bem para a humanidade, para os que estão sob a luz que se vai levar.Um filósofo ensinava que antes de se dizer uma palavra devemos analisar se ela é verdadeira, dita com boa intenção e vai ser útil ao que a ouve. Se não obedecer a uma destas qualidades não deve ser dita. Há conceitos que se forem seguidos nos tornam felizes e bons para os nossos semelhantes, contribuindo pata um Mundo melhor. Nesta quadra natalícia é bom pensar nisto e procurar tornar a humanidade mais solidária.

    Beijo
    João

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ilustre Sr. A. João Soares,

      "Os Estados enviam expedições de jovens soldados deviam meditar na finalidade a atingir, para evitarem penas e sofrimentos para inocentes."

      Estes Estados que cita, são os senhores da guerra, do negócio das armas,
      não podem comparar-se aos Magos que acreditaram e profetizaram a vinda do Salvador, do Messias; os Estados representam, neste contexto, a figura de Herodes na intenção de matar, e Herodes matou muitas crianças " a matança dos inocentes.

      Muito grata por seu comentário que muito me incentiva e ilustra este espaço.

      Um feliz Ano Novo e beijinho,
      ZCH

      Eliminar