sábado, 26 de janeiro de 2013

Mesmo sabendo que não és só meu...

 
 
 
Sol, amo teu calor,

Me afago nele,

Me aquece,

Enobrece

E enlouquece

De amor,

Mesmo sabendo que não és só meu…



Por ti

Me deixo acariciar,

Beijar

E abraçar,

Numa envolvente

Quente

E escaldante

De verdadeiro amante,

Mesmo sabendo que não és só meu…



Tua luz me fascina,

Ilumina

E dá cor à minha vida.

És a estrela mais brilhante,

Fascinante,

Com tua luz

Que reluz.

Sou tua eterna amante

Mesmo sabendo que não és só meu…


Poema da obra - PARTE DE MIM
Reeditado

quarta-feira, 23 de janeiro de 2013

Teu amor



 
























TEU AMOR



Tem teu amor a imensidão do mar,

Eu quero nele, contigo, mergulhar

E nas cálidas águas seu sal sentir

O aroma dum perfumado cravo a abrir.



Da tão grande intensidade de teu amar

Não importa que não me possas falar

Mas, eu quero que tu saibas em mim ver

A pérola que tenho p’ra te oferecer.



Oh! Amor da infinitude do Universo!

Mata meu tão grande desejo, te peço,

Com o intenso brilho de teu doce olhar!



E, na imensidão dum tão largo mar

De teu grande amor de forte intensidade

Me une a ti para a Eternidade!...


 
                  





Da obra - PEDAÇOS DO MEU CORAÇÃO
Poema reeditado





 

segunda-feira, 21 de janeiro de 2013

sábado, 19 de janeiro de 2013

Vem, Meu Amor


 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Vem, Meu Amor
 

Vem, Meu Amor,
Meu Amado,
Meu eterno namorado,
Vem depressa
Matar meu desejo,
Sob teu embriagante calor,
Afagar meu corpo
Com tuas doces carícias
Plenas de amor! … 

Vem, Meu Amor,
Saciar meu corpo
E minha alma,
Apagar o fogo
De tão grande paixão
Que meu peito queima
Em forte combustão... 

Vem, Meu Amor,
Encher-me de prazer
Como só tu sabes fazer
Em teu mágico amar... 

Vem, Meu Amor,
Vem me amar!...
              

 
Da obra - PEDAÇOS DO MEU CORAÇÃO
Autora - Zélia Chamusca 
Edições Vieira da Silva

terça-feira, 15 de janeiro de 2013

Apaixonei-me pela fantasia




 
Apaixonei-me
pela fantasia,
em que um dia
me encontrei
e despertei
porque o que eu via
não era a fantasia
que sonhei.

Nela, intensamente,
me envolvia,
e, finalmente,
acordei
no auge da exaustão.

Senti então,
o que era fantasia
em que eu vivia. 

Me enganei,
na fantasia
que sonhei...

Ela era um véu
de aparente beleza
que cobria
a dureza
da verdade,
da realidade
que eu não quis ver
porque no céu
eu me sentia viver…

                                            




 
Poema de - Zélia Chamusca
Postado em Escrever é Preciso- Revista Virtual 
 em 3/12/2011

domingo, 13 de janeiro de 2013

O verdadeiro sentido da vida

                               
                              

 A vida terá verdadeiro sentido
 
Se
Cada um de nós fizer uma auto-reflexão
Que nos conduza ao respeito mútuo
Numa perfeita comunhão;
 
Se
Nos aperfeiçoarmos
Num renovar permanente
Ascendente;
 
Se
Nos renovarmos
Ao ultrapassarmos
Cicatrizes e traumas;
 
Se
Nos dermos ao outro
Numa entrega incondicional
Sendo flexível e maleável,
Quando aconselhável; 
 
Se
Nos desprendermos
De nós próprios
De nossas experiências
E vivências;
 
Se
Privilegiarmos
Os valores morais
E nos amarmos
Uns aos outros; 
 
Se
Entre nós existir
Perfeita e harmónica comunhão
Em permanente ascensão. 
 
O que dá brilho e verdadeiro sentido à vida, é a luz própria, a nossa capacidade de nos amarmos.
 
Escrito por - Zélia Chamusca
Publicado no PEAPAZ em 5/2011

 

sábado, 12 de janeiro de 2013

SOU POETA DO AMOR

                 
SOU POETA DO AMOR
 

Sou poeta do amor,
Do sentimento,
Da paixão,
Da emoção. 

Sou da vida
A própria exaltação
Do desejo,
Da felicidade
Em amar e ser amada,
Do amor puro
Que é fonte de vida,
Que é a verdade. 

Sem amor não há vida.
Vida em felicidade
De plenitude e alegria,
De magia,
Eudaimonia. 

Este amor é
O amor sábio e puro
Que é, tão-somente – AMAR.

                    
Poema de - ´Zélia Chamusca
Publicado em PEAPAZ em 30-09-2011

quinta-feira, 10 de janeiro de 2013

Amor é...

                                    








Amor é…
Subir ao céu do encantamento,
beijar as estrelas do firmamento,
mergulhar com os anjos no mar profundo
e sobrevoar o mundo…

É a nobreza do sentimento,
é abraçar o universo em cada momento,
é sentir-se excelsus ente
numa embriaguez da mente…

É sensualidade que extasia
elevada ao climax da eudaimonia!...
                             «»





Love is ...

Ascend into heaven of enchantment,
kiss the stars of the firmament,
dive with the angels in the deep sea
and fly over the world ...
It's a noble sentiment
is embracing the universe in every moment,
is feeling Excelsus ente
a drunken mind ...
It sensuality that ecstas
raised to the climax of eudaimonia ! ...

                    «»

Poema de - Zélia Chamusca 

Reeditado                                                               

quarta-feira, 9 de janeiro de 2013

OH! PAIXÃO!

 
          
 
            
 
 
 
Oh! Paixão!
Que és sentimento
De pleno encantamento,
És arrebatamento,
Encanto do coração,
És fascínio,
És da vida a cor,
És o amor
Em todo o seu esplendor!...
 
És desejo,
És atração,
Fascinação,
Encanto,
Beleza,
E, és desejo insatisfeito
Dentro do meu peito.
 
Oh! Paixão!
És criatividade,
És busca
E felicidade
Que encontras
Na beleza
Em toda a natureza,
Na arte,
Sendo na vida
A melhor parte,
Na ciência,
Em toda a sua abrangência,
No outro,
No sexo,
E, sobretudo,
No amor!...
 
Oh! Paixão!
Que também és tristeza,
És luto e dor,
Mas, Paixão,
Quero-te
E desejo-te
Como amor,
Beleza e cor
Que dás vida
À vida
Para que seja bem vivida!
              «»
 
 
 
Poema de - Zélia Chamusca
 


segunda-feira, 7 de janeiro de 2013

SONHEI…


 
 
Voei e sobrevoei,
Num sonho de fantasia
De verdadeira magia.

Sonhei… 

Sonhei
Num grande amor,
Que encontrei
E desejei possuir
Num doce fluir
De emoção
E de paixão.

Louca paixão!…
 
Seu perfume
Me inebriou,
Fascinou,
E me envolveu
Em etéreo sonho,
Voando sobre os mares,
Sobre céus
E pelos ares,
E, em mim ficou,
Mesmo acordada,
Sentindo-me tão amada…
 
E um desejo insaciável,
De me sentir,
Num envolvimento
De prazer inesgotável,
Em louco ato de amor,
De escaldante calor,
E inebriante odor,
Permanecerá, sempre, em mim,
Tal o aroma de uma flor,
Cravo de belo carmesim. 

Desejo e sonho,
Com todo o meu querer,
Sentir este amor,
Bem dentro de mim,
Num prazer sem fim…

Sonhei…

        «»

Poema de - Zélia Chamusca
Publicado em PEAPAZ

em   8/5/2011

sexta-feira, 4 de janeiro de 2013

OS MAGOS DO ORIENTE

                                                             
                                    


Sandro Botticelli (1445-1510): "Adoração dos magos", por volta de 1473/75

                                      

OS MAGOS DO ORIENTE

Tendo, os magos, previsto
o nascimento de Cristo,
rei dos judeus,
que se chamaria Emanuel,
Deus connosco,
Filho de Deus,
e, tendo Herodes, rei da Judeia,
tomado conhecimento
do profético  acontecimento,
incumbiu os magos
de irem a Belém
procurar o Menino
dizendo-lhes que também,
ele, Herodes,  O queria ver. 

Assim, partiram os magos,
que não se sabe quantos são,
tendo como intenção
adorar o  Deus Menino.
A caminho de Belém,
tiveram por bem,
uma estrela diferente,
a estrela do Oriente,
de intensidade a brilhar,
e, sentiram que no caminho
para o Deus Menino
ela os iria guiar. 

Entre os magos nenhum era rei.
Eram magos, profetas,
que através dos astros previram
o nascimento Daquele que seria Rei.

Foram muitos os que caminharam
até que, finalmente,
sempre acompanhados
pela estrela  do Oriente,
a Belém chegaram.

Na casa entraram
com imensa alegria
e visitaram
o Menino com Sua Mãe Maria. 

O Menino adoraram
e jubilaram
felizes e contentes
oferecendo os seus presentes:
ouro, incenso e mirra.  

No regresso, tendo os magos
sido, em sonhos, avisados
das más intenções do rei da Judeia,
tiveram a boa ideia
de seguir  por outro caminho
e não mais voltar a Herodes. 

Assim, os magos regressaram ao seu país,
cada um deles o mais feliz!
                   «»



Escrito por - Zélia Chamusca
Fundamentado no Evangelho de Jesus Cristo segundo São Mateus
Fonte de imagem - Google