sexta-feira, 14 de dezembro de 2012

Tão longe… do que sonhei…

 
 
                                                                            

Tão longe… do que sonhei…


 


Acordei,

Abri os olhos

E me encontrei

No vácuo imenso

Do vazio

Gélido,

Frio,

Do nada…

 

Meu palácio de cristal

Ruiu,

Sucumbiu

Em sua fragilidade

Construído à imagem

Da felicidade,

Da fantasia

Em que um dia

Meu pensamento

Conceituou

E, finalmente,

Acabou,

Tão efémero

Se tornou…

 

De novo irei sonhar

Em concretizar

A razão que me fez sonhar

Mesmo sabendo

Que poderei

De novo acordar

Tão longe… do que sonhei…

 

 
Da obra - PEDAÇOS DO MEU CORAÇÃO
 

Sem comentários:

Enviar um comentário