domingo, 4 de novembro de 2012

Viver



Viver
É a contínua caminhada
Por nós projetada
Seguindo sempre
Em frente,
Levados por paixões,
Ou perante fracassos
E desilusões.
É o projectar
Permanente
Em concretizar
Nossas aspirações.

Viver
É decidir
O que podemos ser
E ter
E, para isso agir,
E, até mesmo,
Decidir não decidir.

Viver
É agir
Em circunstância
E decidir
Perante essa mesma circunstância.

Viver
É ser livre
E ser
Condenado
À liberdade,
E obrigado
A agir
E ter
Que decidir
Face à liberdade.

Viver
É o que fazemos
E o que acontece
E disso termos
Consciência,
É viver-se
E sentir-se viver
No encontro com o mundo
E no mundo.

Viver
É conviver,
É viver
Em termos de relação,
Sabendo o que está a acontecer.
É ver e participar
Nos acontecimentos,
É projetos concretizar,
É amar,
É querer,
É sofrer,
É odiar,
É desejar,
É temer.

É isto viver.
 
Se não houver consciência
Desta existência
Não haverá vida.

Viver
É o que ninguém
Pode fazer por mim
E por si.

É um ato intransmissível,
Só por cada um possível
A vida viver.

Viver
É o dado fundamental,
Realidade primordial,
Indubitável no Universo.

              


 
 
Da obra - PARTE DE MIM
Autora - Zélia Chamusca
Edições Vieira da Silva 
               

 

2 comentários:

  1. Cara Amiga Zélia Duarte,

    Admito os poetas pela sua capacidade de elevarem coisas simples mas essenciais que a generalidade das pessoas despreza e passa ao lado. Viver é mexer, é reinventar em permanência a arte de decidir com critério mesmo as mais pequenas coisas. ´E necessário Pensar antes de decidir, Ao caminhar, não se deve iniciar um passo sem pensar onde se vai colocar o pé. Muitos azares deixariam de existir se as pessoas soubessem «viver» com inteligência. A decisão é constante e permanente, mesmo quando se decide ficar parado e não reagir a uma provocação.

    brigado por ensinar conceitos que, devendo ser do conhecimento geral,, andam muito esquecidos mesmo por aqueles que devem tomar decisões de grande responsabilidade perante a sociedade.

    ResponderEliminar
  2. Olá, Ilustre Senhor, A. João Soares,

    Fico feliz quando sinto que consegui transmitir a alguém a minha mensagem. Basta um, e, neste caso, apareceu alguém que me fez sentir que valeu a pena ter escrito.

    Este poema foi postado em 4 de Dezembro de 2012, reeditado, e, como reparou, consta na obra lançada em Outubro desse mesmo ano.

    No respetivo lançamento este poema foi dito por Isabel Branco, poetisa e autora do programa Dizer Poesia da RTP Internacional, foi ela que o escolheu e, por isso, concluo que também lhe agradou.

    A mim também e por isso o escrevi. Escrevo o que sinto em determinado momento. Um poema tem que ter clareza de linguagem de forma a transmitir algo, no aqui expresso é, apenas uma mensagem sobre o conceito de vida e de viver. Tal conceito é o meu próprio conceito sobre a forma como se deve viver e o que é viver, fruto da minha sensibilidade, da minha formação filosófica e da minha experiência da viva vivida.

    Muito grata pelo seu gratificante comentário que muito complementa o poema, mensagem - VIVER.

    Beijinho,

    ZCH

    ResponderEliminar