segunda-feira, 12 de novembro de 2012

EUROPA COMUNITÁRIA




Neste mundo conturbado
Há um velho continente
Em que um povo magoado
Vive pobre, descontente!

É a Europa Comunitária
Que de comum nada tem
Em nada é solidária
P’la ambição os pobres detém!

Comum? Conversa fiada!
Porque uns comem sempre tudo,
E outros nunca comem nada!
É a injustiça, sobretudo!...

Como é isto Comunidade?
Onde paira a corrupção!
Onde não há fraternidade
E aos pobres roubam o pão!

                  «»



Poema de - Zélia Chamusca
Da obra -  A MENSAGEM - Podemos Mudar o Mundo
Chiado Editora

8 comentários:

  1. Cara Zélia,

    Os vampiros, eles comem tudo, eles comem tudo e não deixam nada. E legislam para que os seus proventos fiquem ocultos dos pagantes, eleitores que são teoricamente considerados mandantes destes manhosos mandatários.
    E o povo ingénuo vota neles. E em breve teremos mais umas eleições.

    É indispensável que se pense bem neste regime de «podridão dos hábitos políticos» como lhes chama o ministro Rui Machete.
    Nas próximas eleições serão escolhidos voluntários para enriquecerem muito e depressa e sem olhar a meios. Eles não querem o bem-estar do povo mas o deles e do seu bando. Veja-se como Menezes e Seara se esfolam todos para irem pata novo município. Será para bem das pessoas de tais concelhos???
    Mas prometem maravilhas em que os papalvos acreditam, crêem que agora é que vai haver seriedade e honestidade em relação aos interesses dos cidadãos e do dinheiro público.
    O mais sensato é não ter ilusões e não aparecer lá, abster-se…

    Até à véspera convém pensar bem. Algum partido terá vontade sincera de melhorar a vida dos habitantes? Alguma coisa melhorará nas autarquias, mesmo que as promessas sejam maravilhosas como tem sido costume? Por mim não estou disposto a deslocar-me às urnas porque isso tem sido inútil, dado que o Pais tem vindo a piorar apesar das mudanças. São todos movidos por vil ambição pessoal.

    A abstenção é resposta à ambição e incompetência dos candidatos.

    Beijo
    João

    ResponderEliminar
  2. Respostas
    1. Olá Adriano,

      É tal e qual exceto a abstenção.

      Não entendo porque há tanta gente a aconselhar a abstenção.

      Digo o que disse no comentário, abaixo, a A.João Soares:

      "Não votar será a forma de dar continuidade a quem tem destruído o país".

      Existem outros partidos em quem votar e que ainda não deram provas.

      Fico feliz com sua presença neste espaço.

      Beijinho,

      ZCH

      Eliminar
    2. Tal e qual referia-se ao poema, não ao comentário de A. João Soares. Beijinho. ABS

      Eliminar
  3. Olá, Ilustre Amigo, A. João Soares,

    O que pretendo com este poema é alertar para a diferença entre os países comunitários em termos de igualdade de direitos, e, embora não expresso no poema, mas elucidativo no mapa das tabelas salariais, fazer pensar como é possível pretender-se baixar salários de miséria?

    A Alemanha dominará, em breve, a Europa, e, Portugal é um dos primeiros países abater.

    Nós estamos a deixar destruir todas as estruturas sociais e roubarem-nos, quer através de impostos elevadíssimos, quer através de redução de salários e pensões, quer através do intencional e estratégico aumento do desemprego.

    Portugal será destruído rapidamente com este recurso à miséria, dum país terceiro mundista!

    Os principais culpados somos nós todos, os cidadãos que o permitimos.

    Nós somos mais, podemos mudar o rumo dos acontecimentos, mas não queremos, estamos em letargia, e, quando acordarmos já será tarde...

    Não concordo com a abstenção porque, (apenas, e,) talvez resultasse se ninguém votasse. As abstenções e votos nulos não contam e irão ganhar os que votarem.


    Não votar será a forma de dar continuidade a quem tem destruído o país.

    Existem outros partidos que ainda não deram provas e que merecem o beneficio da dúvida.

    Eu irei acreditar neles até prova em contrário.

    Minha vida já será curta, mas, pudesse eu viver mil anos que nunca iria votar num dos partidos que têm estado no Governo e que levaram
    Portugal a este estado, através da corrupção e, agora, espoliando os mais fracos até à exaustão enquanto eles se vão enchendo através da desumanidade e da ambição.

    O que estou a dizer eu sinto bem na pele, e, nunca me passaria pela cabeça, nem eu o mereço pelo que fiz da minha vida, de que não me permito aqui falar.

    É sempre incentivante um seu comentário.

    Grata e beijinho,

    ZCH

    ResponderEliminar
  4. Verdade absoluta querida Zélia. Um beijinho do velho amigo e colega.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá, Duarte!
      Que felicidade encontra-lo, aqui, neste espaço!
      Sinto que está a sentir-se bem. Desejo-lhe tudo bom e grata por sua presença.
      Beijinho,
      ZCH

      Eliminar