quarta-feira, 31 de outubro de 2012

Pintura da Natureza

                                                                     
















Nunca vi o que estou a ver,

Pintura da natureza,

Acreditem, podem crer,

É arte de imensa beleza!


Do décimo quinto andar,

No quadro de uma janela,

Vejo o sol a brilhar

Numa imagem tão bela!


A chuva cai a bater,

Fortemente na vidraça

E tão pertinho estou a ver

O arco iris que tudo abraça!


Rara simultaneidade,

Cai forte chuva e o sol brilha

E o arco iris, que raridade

De envolvente maravilha!

                  «»

 Poema  e foto de - Zélia Chamusca   
       

2 comentários:

  1. O seu olhar maravilhado para arte, a pintura da Natureza, e próprio de um ser humano atento às realidades que o cercam. Foi assim que os primitivos criaram as suas religiões politeístas. A ciência não tinha dado os seus primeiros passos e eles não compreendiam os motivos de tantas belezas ou ocasionais ou cíclicas ou permanentes e criaram a divindade que geria cada fenómeno. A Natureza merece toda a nossa devoção. Ontem fiquei maravilhado com a oportunidade que o POENTE me deu de fazer umas fotografias que pode ver em http://cvssemprejovens.blogspot.pt/2016/03/por-do-sol-160306.html

    ResponderEliminar
  2. Bom Dia, A João Soares, lamento só agora ver este seu comentário que agradeço e, vejo-o pelo motivo que irá ver no Face que me levou a procurar o poema. As suas fotos vi, lembro-me. Continue a ver, apreciar as belezas da natureza, manifestação de Deus, e a fixá-las nas suas fotos para as poder transmitir aos outros.
    Grata pela visita, ZCH

    ResponderEliminar