quarta-feira, 31 de outubro de 2012

Pintura da Natureza

                                                                     
















Nunca vi o que estou a ver,

Pintura da natureza,

Acreditem, podem crer,

É arte de imensa beleza!


Do décimo quinto andar,

No quadro de uma janela,

Vejo o sol a brilhar

Numa imagem tão bela!


A chuva cai a bater,

Fortemente na vidraça

E tão pertinho estou a ver

O arco iris que tudo abraça!


Rara simultaneidade,

Cai forte chuva e o sol brilha

E o arco iris, que raridade

De envolvente maravilha!

                  «»

 Poema  e foto de - Zélia Chamusca   
       

segunda-feira, 29 de outubro de 2012

A vida é um projeto permanente

                                                                               
 
 
A vida é feita de sonho
Projetado,
Sonho concretizado.
É projeto permanente
Que se deve viver
E querer
Intensamente.
 

Quantos projetos sonhados!...
E concretizados!...
 

A vida é, um permanente,
Projetarmo-nos no futuro,
Em cada momento,
Presente.
 

É, assim, a vida
Na sua dinâmica
Permanente,
Contínua,
Infinda…
 

Sim,
Porque a vida
Vai para além
Do aqui, aquém
E, permanentemente,
Ela se projeta,
Infinitamente,
Num contexto Universal
Que está para Além
Do imanente ideal!...
                                           
               


 
 
 
Da obra - PARTE DE MIM
Autora - Zélia Chamusca
Edições Vieira da Silva
 
 

domingo, 28 de outubro de 2012

Agradecimento





Olá amigos,

Ontem, no lançamento da obra PARTE DE MIM, embora esperando muitos mais, a sala, no Hotel Real Palácio, estava cheia e, os que estiveram, todos sentiram o calor humano, o gosto pela arte poética cuja beleza atingiu o sentimento e a sensibilidade de todos os presentes. Os que foram fizeram-no com amor e esse amor esteve sempre bem evidente na alegria, na participação e entusiasmo manifestados. Agradeço a todos estes escritores, poetas, leitores, amantes da cultura e das artes, colegas de trabalho na minha atividade profissional, durante uma vida de trabalho e amigos, estiveram os amantes da poesia e outros que, muito em breve, a ela render-se-ão. A todos estes, e, não esquecendo, Edições Vieira da Silva, deixo-vos minha gratidão. ZCH




 

 
 
 
AMIGOS

 
Ontem tive a felicidade
De vos ter junto a mim.
Sois amigos de verdade,
Sempre vos julguei assim.

 

 
 

Destes calor ao evento
Que decorreu com o encanto
Do amor, nobre sentimento
E a poesia que amo tanto!...

 

 
 
 
 Houve grande empatia,
Houve canto, houve flores,
Houve fascínio e magia,
Vos agradeço amores! 
     
                                                    
                                       Zélia Chamusca
                                          2012-10-28


 

quinta-feira, 25 de outubro de 2012

PROGRAMA RADIOFÓNICO NA MAGIA DA NOITE





Amigos,

Irei ser entrevistada, em direto, hoje, 26/10, a fim de anunciar a obra PARTE DE MIM, a lançar a 27/10, próximo sábado, no Hotel Real Palácio.

Esperar-vos-ei.

Se vos interessar podereis ouvir  a entrevista, em direto e espontânea, em:

Programa, NA MAGIA DA NOITE, emitido todas as sextas feiras das 21 às 23 horas na POPULAR FM em 90.9 para a grande Lisboa e para todo o mundo em www.popularfm.com.

EDIÇÕES VIEIRA DA SILVA patrocina a segunda hora, com a possibilidade de levar alguns dos seus autores.

Grata,

ZCH

sábado, 20 de outubro de 2012

SINOPSE DA OBRA PARTE DE MIM

 

 
SINOPSE   DO LIVRO

Um livro de poemas é uma obra de arte quanto à sua forma estética, é um livro da alma e da sensibilidade.

Entre os gregos o termo poética (poeisis) significava criação e era aplicado à poesia e a outras artes.

A poesia não tem enredo, o assunto é a forma como se mostra.

Ela é a revelação do próprio ser na essência do sentimento.

A poesia fala de tudo e de nada. Ela é uma arte, a arte da linguagem, e, como tal, é uma criação (poeisis) assente em valores estéticos (do grego aesthesis – estética) que simbolizam conhecimento sensorial, sensibilidade.

Na poesia a alma abre-se ao olhar do ser, do ser no mundo e das coisas.

A poesia sente-se e vive-se na alma e consubstancia-se no poema.

Esta obra poética, PARTE DE MIM, é a arte reflectida no espelho da alma em que Zélia Chamusca se identifica e reconhece na essência do sentimento, aqui, retratada e esculpida com o cinzel da sua sensibilidade.

Nela nos fala de amor, de sentimento, de paixão e de emoção. Nos transmite seu saber de viver, de fé, de esperança e determinação.

É uma obra de linguagem clara, transparente, leve e agradável, onde o leitor sente o prazer da leitura na beleza deste género literário.

                                                           «»

 

sexta-feira, 19 de outubro de 2012

Me procuraste

                                                          


 



















 


Me procuraste,
De mim te aproximaste
Sem eu te ver chegar.

Não te vi,
Apenas, senti
Teu perfume me inebriar... 

Cobriste meus cabelos
Com lírios vermelhos
De aroma a exalar
E sentindo a ternura
Na leveza de teu tocar,
Fiquei segura
Que o teu amor
Puro e terno,
Em mim eterno,
Iria perdurar!...
        «»





Da obra -PARTE DE MIM
Autora - Zélia Chamusca
Edições Vieira da Silva
 

quarta-feira, 17 de outubro de 2012

POVO DA PAZ




 
POVO DA PAZ

Zélia Chamusca

 

Povo da Paz,

Viveste uma revolução de amor,

Numa primavera de Abril em flor,

De armas munidas de fraternidade

E cravos vermelhos da liberdade!

 

Povo da Paz,

Enganaram-te os por ti escolhidos,

Do Poder nunca foram merecidos

Por ser grande a desumanidade,

Não sabem o que é a fraternidade!

 

Povo da Paz,

Que não esqueces os militares de Abril

Que naquele dia primaveril

Tornaram teu sonho concretizado

E sempre continuarão a teu lado!

 

Povo da Paz,

Tem a certeza que eles contigo estão,

Mesmo em espírito, perdurarão,

P´ra continuarem contigo a cantar,

Bela canção - Portugal Libertar!
   
 
                   

                                                        2012-10-15

Da obra - A MENSAGEM - Podemos Mudar o Mundo
Brevemente a ser lançada pela Chiado Editora

segunda-feira, 15 de outubro de 2012

MAS, ONDE ESTÃO OS JUIZES?


                                               

Esfregam as mãos de felizes

Com a regressão a subir,

De nós se estão a rir!...

Mas, onde estão os Juízes?!

 

Os ladrões têm que ser julgados

E pelo mal condenados,

Têm que a pena cumprir,

Do desgoverno sair

Neste país destroçado

Com o povo tão mal tratado,

Trabalhador assaltado,

Reformado espoliado

E a fome a aumentar

E a saúde a faltar

E a regressão a subir.

Esfregam as mãos a rir!...

Mas onde estão os Juízes?!

 

Será um Julgado de Paz

A mostrar do que será capaz…

Há quem esteja a tremer

Pois já está a prever

O que irá acontecer!...

               «»
Da obra - A MENSAGEM - Podemos Mudar o Mundo
Chiado Editora


Fonte de imagem - Google

sexta-feira, 12 de outubro de 2012

IMAGINÁRIO


                                           

 
 
 Imaginário,

Que te expandes além do infinito,

Perduras no tempo,

És eterno

E porque és imaginário

És intemporal

Sendo o tempo

Atemporal.

És fantasia,

És sonho,

És utopia,

És minha alegria,

És ilusão,

Donde brota a conceção

Do projeto da criação!...

 

Imaginário,

És no pensamento

Relíquia em relicário,

Contigo,

Eu crio e me recrio,

Canto e rio.

Te infundes

Em meu coração

Fazendo dele brotar

A paixão,

Na verdadeira aceção

Do verbo amar!...

           
Da obra - PARTE  DE MIM 
A lançar a 27-10-2012

 

sábado, 6 de outubro de 2012

EU DAVA TUDO…

  







Eu dava tudo

para viver de novo

tudo o que vivi

ao pé de ti…


Eu dava a lua e as estrelas,

o brilho do sol ao acordar,

sobre a terra e sobre o mar,

em doce arrebol

que me faz sonhar…


Eu dava a vida

para, como Vénus  Renascida,

emergindo das ondas  do mar,

 viver de novo

o que vivi,

junto a ti,

por  te amar!...
      





Poema de - Zélia Chamusca
Da obra - Um Outro Olhar
Não publicada
Fonte de imagem Google

Publicado na  8ª. Antologia LOGOS  - 2014

quinta-feira, 4 de outubro de 2012

Os Vendilhões do Templo













OS VENDILHÕES DO TEMPLO
              (Reflexão)
          Zélia Chamusca

Cristo entrou no templo
De Jerusalém,
E, ao ver o templo,
Destinado ao culto e à oração,
Transformado em podridão
Por tantos vendilhões,
Em covil de ladrões,
Comércio de exploração,
De jugo e humilhação;
Cristo, irado,
Pegou numas cordas
E destruiu tudo,
Correndo com os vendilhões
Do templo profanado!

Jesus Cristo,
Um Ser Superior,
Irou-se, chicoteou o mal,
Que, afinal,
Não era mais que a revolta
Perante a hipocrisia,
A opressão,
A injustiça,
A exploração!

Esta bíblica passagem
Dá-nos uma imagem
Do mundo atual
Onde há tanto mal!...

Os vendilhões do templo
São o exemplo
Dos novos espécimes,
Os vendilhões da pátria,
E do ser humano,
Templo profanado.

Este acontecimento bíblico
Da profanação do templo,
Os vendilhões do templo,
Poderá servir, aqui, de alegoria
Que traduz com ironia
A sociedade atual
Onde existe tanto mal…
Sociedade de hipocrisia
Totalmente amoral.
Onde nós, humanos,
Somos profanados,
Humilhados,
Explorados
Pela idolatria do dinheiro,
No mundo inteiro,
Pelo prazer,
Pelo egoísmo,
Pelo Poder!

Precisamos de um Homem Novo
Que chicoteie a opressão,
A hipocrisia,
A injustiça,
A ambição,
A corrupção,
A ânsia do poder,
Fonte do jugo da exploração,
Neste mundo de desumanização!

Precisamos expulsar
Os Vendilhões do Templo,
Precisamos agir,
Precisamos seguir
De Cristo o exemplo!
    

       «»


Poema reeditado . Da obra - A MENSAGEM - Podemos Mudar o Mundo
Chiado Editora


segunda-feira, 1 de outubro de 2012

O pensamento voando como o vento...






Em permanente diálogo
Me deixo voar
E levar
Com o pensamento
Voando como o vento…

Percorro o caminho
Do sonho,
Da fantasia
E da magia,
Da realidade
E da saudade,
Do encanto,
E desencanto,
Da ternura
E da frescura,
Com o pensamento
Voando como o vento…

Com ele dialogo,
Permanentemente,
Numa dialética constante,
Inigualável,
E infindável,
De eterno comunicante
Em que me perco
E me encontro,
Num recomeço infindo,
Sempre partindo
Do dado primordial
Duma verdade existencial,
O pensamento
Voando como o vento…

                      Zélia Chamusca
   






De obra PARTE DE MIM
Edições Vieira da Silva
Lançamento a 27/10/2012
Hotel Real Palácio