terça-feira, 11 de setembro de 2012

PORQUE É QUE A FELICIDADE É INACESSIVEL?


            

  Artigo de Zélia Chamusca


Lembrei-me de conversar com todos os meus amigos, aqui, sobre este interessante tema, a felicidade.
Todos nós procuramos, permanentemente, a felicidade. Essa busca é uma necessidade inerente ao nosso ser, mas, ela cada vez mais se torna inacessível e porquê?
Penso, como Santo Agostinho, que não a encontramos porque nos enganamos no caminho. Conhecemos o caminho do Bem,(Amor, segundo a terminologia de Santo Agostinho) mas desviamo-nos dele.
Porquê? Porque somos humanos, não somos perfeitos, não somos deuses.
Mas, onde reside a felicidade?
É este o problema.
A felicidade é um estado de espírito, não um objecto que se procura.
Ela está dentro de nós. É aí que teremos que a procurar.
Comecemos por nos amar a nós próprios para depois podermos amar os outros.
Se não nos amarmos a nós próprios nunca poderemos amar alguém.
Ou seja, se não tivermos auto-estima nunca encontraremos a felicidade.
É necessário que, permanentemente, na nossa vida, incentivemos e reforcemos a nossa auto-estima através de pensamentos positivos, que conduzam a sentimentos, emoções, sensações positivos.
Esta atitude exige uma aprendizagem permanente, um aperfeiçoamento.
Se adotarmos uma atitude positiva perante a vida, reforçando os nossos pensamentos positivos e evitando os negativos, a nossa auto-estima será cada vez mais forte e, consequentemente, seremos muito mais felizes e comunicaremos aos outros a nossa própria felicidade.
Se nós próprios não nos sentirmos felizes nunca poderemos transmitir felicidade a alguém.
Hoje, levantei-me e comecei a escrever este texto para vos desejar a todos um muito bom dia.
Saibamos ser felizes!
ZCH

4 comentários:

  1. Concordo com seu texto. A felicidade não é um destino. É um caminho que seguimos e desfrutamos.
    Bjsss

    ResponderEliminar
  2. Grata, minha Querida Monica e muita felicidade para si.
    Saibamos ser felizes.
    Beijinho,
    ZCH

    ResponderEliminar
  3. Cara Amiga Zélia

    Concordo com as linhas gerais do texto mas discordo do texto. A felicidade é acessível e depende apenas da nossa vontade. Os pequenos êxitos dão-nos satisfação, felicidade. O nosso mal está em sermos demasiado exigentes, ambiciosos, invejosos, querendo sempre mais e melhor, sermos medalhados com a medalha de ouro em vez de nos contentarmos em correr, em competir, mesmo que fiquemos longe do campeão. Termos o dom de apreciar as belezas da Natureza, a paz, o bom entendimento com os outros, connosco, com as nossas pequenas vitórias contra as dificuldades. Ser feliz é um dom, mas não devemos querer o impossível.
    Um dia vi na TV um sem abrigo dizer que era feliz e que gostava da vida que levava a dormir num passeio da Rua Augusta em Lisboa.

    Beijo
    João

    ResponderEliminar
  4. Bom Dia, Amigo!

    Ilustre A. João Soares,

    Discordo porque diz que não concorda com o texto, porquanto, o que refere vem ao encontro do que no texto está implícito.

    A menos que, como diz, apenas, "concordando com as linhas gerais do texto", como também refere,o considere incompleto.

    Nisso eu estou de acordo.

    Porém, seu sábio comentário que muito me honra veio enriquecer e complementar o meu texto.

    Muito grata e sinta-se feliz neste sábado de sol radioso de verão.

    Beijinho,

    ZCH

    ResponderEliminar