quinta-feira, 27 de setembro de 2012

OS MALES DA CORRUPÇÃO


OS MALES CORRUPÇÃO!

Zélia Chamusca


Eu queria descrever

O que está a acontecer…

Mas, consomem-se as palavras

P’las lágrimas assoladas…


Sofrimento nesta era

Que o Poder aos pobres gera!

Não há dó nem há piedade,

Apenas, austeridade!


Tantos pobres inocentes,

Quantos com fome e doentes,

Suportam na solidão

Os males da corrupção!

                  «»

Fonte de Imagem - Google

terça-feira, 25 de setembro de 2012

SOU

SOU

Sou no mundo a emoção,
Sou corpo e alma,
Sou gelo e calor,
Sou chispa e calma,
Sou ousadia e pudor,
Sou afeto e sou paixão!...

Sou plenitude transbordante,
Sou força e vigor,
Sou lume escaldante,
Sou esperança e amor,
Sou transparência,
Exuberante abertura,
Clarividência,
Razão e loucura! …




Mas, se abro as portas à essência do meu ser;
Fecho-as mais pobre:
Se esvai maculada a privacidade,
Que ocupa meu espaço mais nobre.
Minha força começa a esvanecer…
E me cerro na ténue fragilidade! …

Nesta complexidade me refugio
E, paradoxalmente, me liberto:
Danço e canto, corro e salto, choro e rio!...
Mas … em vão…
Na intimidade me aperto
E me afago na solidão!...
             «»

Poema reeditado - da obra PEDAÇOS DO MEU CORAÇÃO
Autora - Zélia Chamusca
Edições Vieira da Silva

domingo, 23 de setembro de 2012

QUEM MATOU OS VALORES DA LIBERDADE?!




QUEM MATOU OS VALORES DA LIBERDADE?!

                      Zélia Chamusca


Um feixe de luz desceu sobre mim

E me envolveu de paz e amor sem fim…

Iluminou meu ser de luz e cor!

Era a luz do surgir dum novo alvor!


Era o alvor puro da liberdade!

A alegria da nova sociedade!

Era a esperança de um mundo novo!

Não mais se sacrificaria o povo!


Amanheceu a paz na luz da alvorada!

O sol iluminou a primavera!

Era o começo de uma nova era!


Quem matou este sonho?! Esta quimera?!

Onde estão os valores da liberdade,

Da igualdade e da fraternidade?!

                         «» 
                                  Zélia Chamusca


Da obra  -  A MENSAGEM - Podemos Mudar o Mundo
Chiado Editora 

sexta-feira, 21 de setembro de 2012

UMA ESPÉCIE DE DIABO

   
 
Estamos todos a ver
A coisa que eu nunca vi
Uma espécie de diabo
Que anda à solta por aqui!

É uma espécie refinada
De requinte e malvadez,
Inovação criadora,
Olha a obra que ele já fez!

Tira ao pobre e dá ao rico,
Uma obra tão original,
Tira ao velho reformado,
Nunca, assim, vi tanto mal!

Rouba àquele que trabalha
Para encher bem o patrão
E rouba aos que trabalharam
P’ra mais tarde terem pão!

Puseram suas reformas
Nas mãos do Estado ladrão
Que se fartou de gozá-las
E, agora, deixa-os sem pão!

Besta assim não é diabo,
É uma espécie muito nova,
Terrível e perigosa,
De que já nos deu a prova!

E dizem os cientistas
Que é espécie já a abater
Porque é tão perigosa
Que nos faz demais sofrer!
                «»




 
 
Poema de - Zélia Chamusca
Da obra - A MENSAGEM - Podemos mudar o mundo
Chiado Editora
 
 
 
Fonte de Imagem - Google

quarta-feira, 19 de setembro de 2012

ADORO-TE...








ADORO-TE…

Zélia Chamusca


Estás sempre comigo

Nos momentos de solidão

Quando todos tão distantes,

De mim, estão…


Quando meu coração aperta

E as lágrimas correm sem fim,

Te aproximas de mim

E vens  meu rosto limpar,

Me acariciar…


Quando  pratico o bem

E responde a ingratidão

De alguém,

Tu vens consolar meu coração…


Sempre que preciso de ajuda

És o Amigo presente,

Sempre…

Em qualquer momento,

Em qualquer lado,

És meu Ser Adorado…


Sem Ti não viveria.

És minha força de viver

De crescer e de ser.

Estás sempre comigo,

E, comigo estarás, até ao fim…

Adoro-Te…







Fonte de imagem - Google
Da obra - PALAVRAS DA ALMA
Chiado Editora

domingo, 16 de setembro de 2012

NOSSA FORÇA É BRUTAL!

















É tão grande a indignação
E fortemente sentida,
Todos saímos à rua,
Grande Manifestação!

De civismo demos prova
E grande passividade,
Gente de brandos costumes
Lutamos p’ra nação nova!

Estamos fartos de sofrer
Os sacrifícios impostos
P’los inaptos e corruptos.
Vamos com eles correr!

Nossa força é brutal!
É a força de todos nós.
Ela irá mudar o rumo
Deste país, Portugal!
            «»
                      Zélia Chamusca




Da obra - A Mensagem - Podemos mudar o mundo
Chiado Editora
Foto - extraída do Google

sábado, 15 de setembro de 2012

VAMOS TODOS LUTAR!

                            
VAMOS TODOS LUTAR!

Hoje, 15 de Setembro, vamos todos lutar!

Trabalhadores, reformados, desempregados, todos nós cidadãos que constituímos o país, neste território desorganizado, lutemos pelo nosso país, que só o será, devidamente, organizado.

Queremos viver numa sociedade justa, onde paire a justiça, a equidade, a dignidade, o respeito, a solidariedade e, sobretudo, a honestidade.

Abaixo a corrupção que continua noutra forma de dimensão!

Quem roubou que pague. Punam-se os corruptos!

Eles têm que pagar com o que roubaram!

Nós cidadãos honestos não gastámos mais do que devíamos. Não!

O reformado trabalhou quarenta anos e mais e descontou durante esse tempo para o Estado (Segurança Social) e para sua reforma, (Caixa de Pevidência, muitas privadas),   dinheiro que foi sujeito a IRS e  que está a pagar em duplicado.

O cálculo de suas reformas foi feito por catorze meses.
O Estado andou a gozar o dinheiro descontado, exclusivamente, para a reforma do trabalhador, e não pagou juros.

Atenção:

Esse dinheiro é do trabalhador reformado, não é do Estado;

Está a pagar imposto de IRS em duplicado.

O Estado andou a gozar esse dinheiro e não pagou juros.

Esse dinheiro foi computado para ser distribuído por 14 meses.

É um direito inviolável do reformado a posse deste dinheiro, sua reforma. Esse dinheiro é seu. Não é do Estado.

Como permitir que o ladrão do Estado se aposse, roube este dinheiro ao reformado?!

Reformados, não permitamos!

O trabalhador tem o vencimento mais baixo da União Europeia e os 14 meses de vencimento não perfazem a média mínima da praticada na União Europeia.

Roubam estes dois meses de ordenado e, ainda querem roubar (TSU) para dar ao patrão?

Roubam ao trabalhador, TSU, para dar ao patrão!

O patrão é mais sensato que o Governo. O patrão recusa esta indignidade moral e sabe que o trabalhador tem que estar motivado.

Estes espécimes de desgovernantes dizem que com a TSU vão aumentar o emprego.

E, que tal se o trabalhador trabalhar de borla? Lembrar-se-ão disto?!...

O patrão é gestor de Recursos Humanos, e, como tal, sabe que para que haja produtividade é condição "sine qua non" trabalhadores motivados.

Uma Empresa, uma Organização, não é o Estado, nem  é o patrão. São as pessoas que constituem essa Organização.

E, se não estiverem todos empenhados no móbil dessa Organização ela não sobreviverá.                       
Uma organização são as pessoas que a compõem , os trabalhadores devidamente empenhados, motivados, e, organizados e geridos com inteligência, dignidade e respeito.

Sem motivação não haverá produtividade!

Eu nunca vi, na minha já longa vida, (para mim curta) o que está a acontecer!

Não há semelhança!…

Isto não é obra do diabo! É obra de uma nova espécie de diabo, nunca vista!

Vamos todos lutar para com isto acabar!

                                                                Zélia Chamusca

                                                           15 de Setembro de 2012


Fonte de imagem - Google

sexta-feira, 14 de setembro de 2012

DESCERAM OS DEMÓNIOS SOBRE A TERRA

             
                                                  
DESCERAM OS DEMÓNIOS SOBRE A TERRA
                Zélia Chamusca

Desceram os demónios sobre a Terra,
Com grandes forquilhas dilacerantes,
Vindos das profundezas dos infernos,
Desvairados, frios, horripilantes.

Seu olhar é duro, frio e demoníaco.
Reparem bem naquele olhar horrendo.
Autênticos demónios dos infernos
Em lendas demoníacas ocorrendo.

As gentes se revoltam vendo o ódio
Bradando gritos pela dor sentida
Tiram-lhes as forquilhas e os desarmam
E para o inferno os mandam de seguida!

                         
     
   
Poema de - Zélia Chamusca
Da obra - A MENSAGEM - Podemos Mudar o Mundo    
Chiado Editora

quinta-feira, 13 de setembro de 2012

A CAMINHO DA LUZ ENCONTREI O SONHO




Parti da escuridão
A caminho da luz
E o sonho encontrei
Em tudo o que pensei
E me encantei…

A caminho da luz
Encontrei a magia
Em tudo o que me envolvia:
A paz e o amor,
A luz e a cor,
A alegria
Na plenitude da fantasia…

Sonhei…
Com o calor da amizade
Outrora realidade,
E, hoje, apenas, saudade…

Do caminho da escuridão
Para o caminho da luz
Eu  encontrei
O sonho que sonhei…







Poema de  - Zélia Chamusca 
Da obra - A MENSAGEM - Podemos Mudar o Mundo
Chiado Editora
Fonte de imagem- Google                  

quarta-feira, 12 de setembro de 2012

Sem lei nem roque

 







SEM LEI NEM ROQUE
       Zélia Chamusca

Num país sem lei nem roque
Nem ladrão a quem se toque,
Cada um mais enche o saco
Do pobre o recurso parco.

Todos os trabalhadores
Estão a sofrer horrores
E os pobres dos reformados
Cada vez são mais roubados.

São só os pobres a pagar
E os do Poder a roubar,
De quem lhes deu o poder
Eles se estão a esquecer.

Não merecem governar
Este país a ficar
Cada vez mais assaltado,
Como não vi no passado!
                    «»

                              

Da Obra - A MENSAGEM - Podemos Mudar o Mundo
Chiado Editora

Fonte de imagem - Google

terça-feira, 11 de setembro de 2012

PORQUE É QUE A FELICIDADE É INACESSIVEL?


            

  Artigo de Zélia Chamusca


Lembrei-me de conversar com todos os meus amigos, aqui, sobre este interessante tema, a felicidade.
Todos nós procuramos, permanentemente, a felicidade. Essa busca é uma necessidade inerente ao nosso ser, mas, ela cada vez mais se torna inacessível e porquê?
Penso, como Santo Agostinho, que não a encontramos porque nos enganamos no caminho. Conhecemos o caminho do Bem,(Amor, segundo a terminologia de Santo Agostinho) mas desviamo-nos dele.
Porquê? Porque somos humanos, não somos perfeitos, não somos deuses.
Mas, onde reside a felicidade?
É este o problema.
A felicidade é um estado de espírito, não um objecto que se procura.
Ela está dentro de nós. É aí que teremos que a procurar.
Comecemos por nos amar a nós próprios para depois podermos amar os outros.
Se não nos amarmos a nós próprios nunca poderemos amar alguém.
Ou seja, se não tivermos auto-estima nunca encontraremos a felicidade.
É necessário que, permanentemente, na nossa vida, incentivemos e reforcemos a nossa auto-estima através de pensamentos positivos, que conduzam a sentimentos, emoções, sensações positivos.
Esta atitude exige uma aprendizagem permanente, um aperfeiçoamento.
Se adotarmos uma atitude positiva perante a vida, reforçando os nossos pensamentos positivos e evitando os negativos, a nossa auto-estima será cada vez mais forte e, consequentemente, seremos muito mais felizes e comunicaremos aos outros a nossa própria felicidade.
Se nós próprios não nos sentirmos felizes nunca poderemos transmitir felicidade a alguém.
Hoje, levantei-me e comecei a escrever este texto para vos desejar a todos um muito bom dia.
Saibamos ser felizes!
ZCH

domingo, 9 de setembro de 2012

INTERVENÇÃO EM DOZE QUADRAS























Zélia Chamusca

 

Ouço tantos a mentir,
Os que tem o Poder,
Que chego a estar a sentir
Que começo a enlouquecer.

Num país desgovernado
Todos falam com razão.
Mas, o pobre do coitado
É  quem fica sem o pão.

A proposta de equidade
Nos deram a conhecer
E é sempre a desigualdade
Que acaba por nos vencer.

E àquele que bem trabalha
Querem baixar os salários
Técnica que nunca falha
Na mente dos Comissários.

Os que ganham aos milhões
Enchem-se até fartar
São dos pobres os tostões
Que têm tudo pagar.

E a iniciativa privada
É sempre favorecida
De nada se vê privada
P’ra estes é boa a vida.

E os que fogem ao fisco,
São estes e mais alguns,
Não sofrem qualquer risco
E são casos tão comuns.

E todos os que roubaram
Vivem à grande e à francesa
De luxo até se abastaram
Nada lhes falta na mesa.

Continuam a encher-se
São os mesmos a roubar
Na crise a enriquecer-se
Nada lhes irá faltar.

E os que a crise, aqui, criaram,
Os que estão de longe a ver,
Fugiram e se baldaram,
Estão no luxo a viver.

Ouço dizer que fui eu,
Gastei mais do que devia,
Esta gente enlouqueceu,
Não percebo esta ironia.

O que aqui estou a dizer
É apenas poesia,
Não duvidem, podem crer,
Não liguem… é fantasia…
             «»
                          2012-09-08

Poema de - Zélia Chamusca
Da obra -  A MENSAGEM - Podemos mudar o mundo

Chiado Editora

sábado, 8 de setembro de 2012

Escravatura Século XXI



                    


Escravatura século vinte e um,
Dura, cruel, injusta e desumana.
Do Poder a mais déspota ação insana
Como jamais alguém viu em tempo algum.

Rouba-se o país, rouba-se a nação,
Rouba-se o pobre para dar ao rico,
Tanto há p’ra dizer mas aqui me fico,
Sobre energúmenos sem coração!

Luta com teu poder, trabalhador!
Não deixes reduzir-te à escravidão!
És a força do trabalho, és o motor!

Queremos uma sociedade pura,
Lutemos com a força da razão,
Derrubemos a nova ditadura!
                      «»
                                               Zélia Chamusca


Da obra - A MENSAGEM - Podemos Mudar o Mundo
Chiado Editora
Fonte de imagem - Google

quarta-feira, 5 de setembro de 2012

Ingratidão




 
O mais nobre sentimento
Que de mim brotou,
Esvaiu-se como nuvem
Pelo vento
Esfumado,
Saindo num lamento
Das cinzas dum tormento.

Passou…
E se desfez
Nos ares do esquecimento...
Ninguém notou
No encanto
Que a vida
Tanto, tanto…
Lhes doou…

Ninguém o viu…
E se esvaiu
Na cegueira da ingratidão
Que magoou meu coração!...
                      



Da obra - PARTE DE MIM
Autora - Zélia Chamusca
Edições Vieira da Silva        

segunda-feira, 3 de setembro de 2012