quarta-feira, 8 de agosto de 2012

OS VENDILHÕES DO TEMPLO


                                     
           (Reflexão)

        
Cristo entrou no templo

De Jerusalém,

E, ao ver o templo

Destinado ao culto e  à oração,

Transformado em podridão

Por tantos vendilhões,

Em covil de ladrões,

Comércio de exploração,

E jugo de humilhação;

Cristo, irado,

Pegou numas cordas                                        

E destruiu tudo,

Correndo com os vendilhões

Do templo profanado!


                                       Jesus Cristo,

 Ser Superior,

Irou-se e chicoteou o mal,

Que, afinal,

Não era mais que a revolta

Perante a hipocrisia,

A opressão,

A injustiça,

A exploração!



Esta bíblica passagem

Dá-nos uma imagem

Do mundo atual

Onde há tanto mal!...



Os vendilhões do templo

São o exemplo

Dos novos espécimes,

Os vendilhões da pátria

E do ser humano,

Templo profanado.



Este acontecimento bíblico,

Da profanação do templo,

Os vendilhões do templo,

Poderá servir, aqui, de alegoria

Que traduz com ironia

A sociedade atual

Onde existe tanto mal…

Sociedade de hipocrisia,

Totalmente, amoral.

Onde nós, humanos,

Somos profanados,

Humilhados,

Explorados

Pela idolatria do dinheiro,

No mundo inteiro,

Pelo prazer,

Pelo egoísmo,

Pelo Poder!



Precisamos de um Homem Novo

Que chicoteie a opressão,

A hipocrisia,

A injustiça,

A ambição,

A corrupção,

A ânsia do poder,

Fonte do jugo da exploração,

Neste mundo de desumanização!



Precisamos expulsar

Os Vendilhões do Templo,

Precisamos agir,

Precisamos seguir

De Cristo o exemplo!

Poema de - Zélia Chamusca
Da obra - A MENSAGEM - Podemos Mudar o Mundo
Chiado Editora
 
            



Sem comentários:

Enviar um comentário