terça-feira, 3 de abril de 2012

POEMA TRISTE


   


















Um mundo de trevas

desceu sobre mim

e um manto negro

sem luz e sem cor

cobriu meu corpo

e todo meu ser

de tristeza e dor,

num infinito sem fim…



A todo o momento

este meu tormento

de tristeza e dor

quer o  manto negro

sem luz e sem cor

para sempre romper

e cobrir meu corpo

e todo o meu ser

com a mais bela flor,

neste poema triste

que acabei de escrever!...

         
Poema de - Zélia Chamusca
Obra - Poetar Contemporâneo
Volume II
Edições Vieira da Silva
                     

4 comentários:

  1. Triste sim, este poema, mas lindo. Pode haver beleza, e há, na melancolia. Também a tristeza pode ser chão fértil para nascer uma flor que até pode ser negra e bela como a tulipa. Este poema é encantador. Só uma poetisa talentosa é que capaz de de encher a noite de luz calma e serena e de transformar o negro numa cor fascinante. Parabéns poetisa. Este poema é muito lindo. Um beijo para a minha amiga e colega e poetisa Zélia ChamuscaBei

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá, Boa noite, meu caro amigo, colega e Poeta Guilherme Duarte!

      Grata por seu incentivante e carinhoso comentário a meu simples poema triste.

      Beijinho,
      ZCH

      Eliminar
  2. Que nunca nos falte a força para romper o manto negro que, por vezes, nos envolve e nos permita ter em redor um jardim de belas flores. Faz um retrato muito expressivo de um momento de depressão em que nos sufocamos sem ver uma janela que nos transporte para além do escuro.
    Beijo
    João

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá, Amigo, Ilustre A. João Soares,

      Muito bem interpretado, em seu comentário que muito agradeço,o que que pretendi transmitir.

      Beijinho,

      ZCH

      Eliminar