segunda-feira, 30 de abril de 2012

Individualidade

 

Cada um de nós

E cada ser criado

É por Deus amado

Na imensidade

E pluralidade

De Sua Criação,

Suprema Perfeição.



Cada um de nós,

Na universal diversidade,

É um indivíduo,

Único, singular,

Na sua capacidade

De ser e de amar.



Cada um de nós,

No mundo,

É impar.

Em toda a Natureza

Nada é igual,

Tudo tem sua individualidade,

Sua beleza

Na imensa multiplicidade

Universal.



Somos inigualáveis,

Diferenciáveis,

A nada há que igualar,

Mas, apenas, procurar,

Em nossa manifestação

A melhor e mais perfeita

Forma de participar

Na Obra da Criação,

Tal como o Criador,

Também, nós, por amor,

Podermos criar!
          

Poema da obra -PARTE DE MIM
Edições Vieira da  Silva
                                                        

sábado, 28 de abril de 2012

APAIXONEI-ME PELO SONHO





APAIXONEI-ME PELO SONHO
Zélia Chamusca


Apaixonei-me
Pelo meu sonho,
Sonho de fantasia
Em que eu um dia
Me envolvia
Na alegria
Da fantasia
Em que vivia…

Um sonho de encantar!...

Sonhei… sonhei…
Até que acordei…
E perdi essa fantasia
Por que me apaixonei.

Me encantei!…

Rompi o véu,
Desci do céu,
Poisei os pés,
Aqui, no chão
E vi que era
Simples quimera,
Apenas, mera ilusão!...
                                   «»


Poema de - Zélia Chamusca
Da Obra - POETAR CONTEMPORÂNEO
Coletivo de poetas contemporânes lusófonos Vol.II
Edições Vieira da Silva         

sexta-feira, 27 de abril de 2012

MEDO?



                                                          

  
Porquê o medo?
Ele não existe…
Apenas, em tua mente
ele se sente,
patologicamente…

É pura patologia
que conduz à apatia,
inibe a acção,
gera depressão,
destrói
e afeta o coração!

Pára para pensar,
no mundo
tens que atuar!

Muda teu olhar,
ganha outra visão,
agindo com teu novo olhar
o mundo pode mudar!

Está na tua mão
criar no mundo
outra dimensão!

                                            
Da obra - A MENSAGEM - Podemos Mudar o Mundo
Chiado Editora

          
   

quarta-feira, 25 de abril de 2012

O MAL É FORÇA A TRANSFORMAR

                                                                     
                              
                                          O MAL É FORÇA A TRANSFORMAR
            (Reflexão)
       Zélia Chamusca







O mal é força material,
e, enquanto tal,
difícil de dominar,
apenas, possível transformar.
É potência explosiva,
evasiva.
Ninguém o consegue dominar.

Poderemos transformá-lo
como da noite para o dia,
parecendo magia,
tal a força de uma cascata
que se transforma em energia.

Quantos fracassos
não se transformaram
em sucessos?

Não vale a pena lutar,
combater, matar,
para o mal aniquilar,
bastará, tão somente,
aproveitar o mal
para nossa elevação intelectual,
para nossa aprendizagem
nesta passagem
e agir em união
com a força da razão,
de forma racional
e fraternal.

Veremos
que é em vão
de outra forma lutar,
bastando, através da nossa acção
conseguir do mal a transformação
e o Bem consolidar.

                  
                                  

segunda-feira, 23 de abril de 2012

FATAL IRONIA



 FATAL IRONIA

Poema de Zélia Chamusca


Para onde caminhamos?
Neste caminhar
Para a catástrofe
Lamentável,
Insuportável,
Fatal ironia?!...

Onde iremos parar?!
Paremos neste caminhar
Para pensar
E lutar!...


Não nos deixemos vencer
Neste viver
No mundo dominado
Pelo poder
Desenfreado,
Vestido de cordeiro
No mundo inteiro!…
Lutemos neste mundo
Imundo,
Com a força da razão
Cumprindo nossa missão,
Contra a escravidão!


Não permitamos
Uma nova sociedade
Sem liberdade,
Contra natura,
Impura,
De escravatura,
Em que o Poder
Retira o direito ao Ser
E se apropria
Do que é teu
E do que é meu…

Vençamos a letargia
Não permitamos
A ironia
Do regresso
Ao desumano processo
Que há muito acabou,
E, de novo, se instalou!
Fatal ironia!...
    
         «»



Poema da obra - A MENSAGEM - Podemos Mudar o Mundo
Chiado Editora

Fonte de imagem - Google

domingo, 22 de abril de 2012

NÓS, SERES RACIONAIS?


                                                                       
                                             

Sufoco sem palavras

Que brotam em lágrimas

E soltam minhas mágoas…

O amor e a fraternidade

A ternura e a solidariedade

Que vejo nos animais…



Nós, seres racionais?



Minha alma a rebentar

Vendo a fraternidade

E a solidariedade,

Pelo dono, o sentimento

De amor, reconhecimento,

Não sendo a nós iguais…



Nós, seres racionais?

       

Sufoco sem palavras

No meu peito engolidas,

Em angustia diluídas,

Quando vejo os animais

Que por Deus foram criados,

P’los humanos mal tratados…



Nós, seres racionais?

                                                          «»


                                                            
Fonte de imagem - Google
Poema de - Zélia Chamusca

quinta-feira, 19 de abril de 2012

ÉS A LUZ


                                                                                               




    ÉS A  LUZ
Zélia Chamusca
 
Tu és a Paz celeste e vivificante
És  a essência do Amor, estrela a brilhar,
És Céu, és  eterna Luz tão brilhante,
És o Amor sublime és o verbo amar…

Em todo o universo eu Te procuro,
Em cada instante da já breve vida,
Nenhum momento eu perco ou descuro
Na procura da Luz sempre seguida!...

És a Luz que ilumina minha vida,
És a Luz que ilumina todo o meu ser,
És a Luz onde encontro guarida,

És a Luz que tudo fazes nascer,
És a Luz verdadeira, és  a Vida,
És a Luz, minha razão de viver!...
                                    

                                             
Da obra - PALAVRAS DA ALMA
Chiado Editora




quarta-feira, 18 de abril de 2012

O TEMPO E O PENSAMENTO

                                                          
                                          
 



O tempo voa como o vento,

 Voa,

 Mas, mal soa,

 Não soa,

 Passa sub-repticiamente

 E a gente

 Não o sente…



 Passa, desaparece,

 Fenece…



Mas, o pensamento

 Tal como o vento

 Flui,

 Sopra e voa,

 Passa e fala,

 Não cala.



O pensamento

 Difunde-se na universalidade

 Da consciência

 E mostra-se ao mundo

 Dizendo

 Que está sempre

 Presente

 No conhecimento,

 Na arte e na ciência,

 Num crescente fluir

 De eterno devir

 Em que se renova

 Dando da eternidade

 Prova.



O pensamento

 Persiste,

 Existe

Para além do tempo.
 

 Não desaparece,

 É eterno

 Permanece.

 É antagónico ao tempo

 Que é breve momento!

                                                                   



Da obra - PARTE DE MIM
Edições Vieira da Silva