domingo, 25 de março de 2012

BRISA MARITIMA











BRISA MARITIMA



A leve brisa marítima

Que cobre meu corpo

Em doce carícia

De meiguice íntima,

Afaga meu espírito,

Minha alma

E todo o meu ser,

Num enorme prazer,

Em tempo finito…



O Sol ciumento

Disputa a ternura

Que o leve vento

Entoa, em doce candura.



E as ondas do mar

Que revoltas estão,

Pois, querem alegrar

Meu triste coração!...


             
Poema de - CHAMUSCA, Zélia
Da obra - A NOSSA  ANTOLOGIA - Volume XVI
2011/2012
Da  Associação Portuguesa de Poetas

2 comentários:

  1. É a natureza em festa perante uma mulher bonita. Como eu a compreendo!
    Obrigado Zélia por este delicioso poema.

    Um beijinho.

    ResponderEliminar
  2. Não, não...

    É o que eu, vaidosa, sinto...
    Mas, também minha sensibilidade que me faz sentir prazer em contacto com a natureza, ou seja,quando minha natureza despida e natural se expõe ao sol, à beira mar e enche de prazer, a Musa vem ter comigo e me transmite a inspiração que associo à minha sensibilidade e surge a criatividade num simples poema...
    Grata por seu carinhoso e lisongeante comentário.
    Beijinho,
    ZCH

    ResponderEliminar