sábado, 31 de março de 2012

CHORO SEM LÁGRIMAS


                                                                       
CHORO SEM LÁGRIMAS

Poema de Zélia Chamusca

De tão tristes estarem
E tanto chorarem
Meus olhos secaram,
E, sem lágrimas ficaram.

É choro sem lágrimas
Em meus olhos secos
Pela dor,
Espalhada na escuridão
Da tristeza
Que invadiu meu coração,
Meu corpo,
Minha alma,
Meu espírito
E todo o meu ser
Que chora de saudades
Por não te ver,
Não te sentir,
Não te ouvir.

Meus olhos sem lágrimas
Choram…
Secaram…

Chora meu corpo,
Minha alma,
Meu espírito,
Chora todo o meu ser,
Esperando um dia
Nosso Supremo Encontro
Num Único Ser!...
      


Poema de - CHAMUSCA, Zélia
Reeditado

Fonte de imagem - Google

sexta-feira, 30 de março de 2012

A felicidade está dentro de nós






                                                                          

Porque deixamos
A felicidade escapar,
Perdidos
E iludidos,
Vendo-a ao longe
Sem lhes poder chegar?...

Ela está tão perto de nós,
Bem dentro de nós,
No nosso coração.
Não a vemos?...
Porque não?

Vemo-la no ter;
Ela está no ser.
Vemo-la lá longe;
Ela está tão perto…
Vemo-la fora de nós;
Ela está tão dentro de nós.
Vemo-la na ilusão;
Ela está em nosso coração…

Ela é sentimento,
Estado de espírito,
É paz,
É encantamento
Que perdemos
No caminhar
Errado,
Procurado,
Para a encontrar.

Paremos de caminhar!...

Pois, basta olhar,
Dentro de nós,
E, aí, a veremos
E sentiremos
Que na nossa capacidade
De ser e de amar
Reside a Felicidade!...
             «»


                                 


   
Da obra - PARTE DE MIM
Autora - Zélia Chamusca
Edições Vieira da Silva

quinta-feira, 29 de março de 2012

A FELICIDADE


                                                            
                                                                     

A FELICIDADE
                              Poema de Zélia Chamusca


A Felicidade
É busca permanente
De Infinito presente.
É sonho,
É fantasia,
É estado inacessível
Do espírito, inatingível…

A Felicidade
É uma necessidade
Intrínseca à nossa alma,
Desejo que nos acalma…

A Felicidade
É do espírito um estado,
Apenas, alcançável
Em breves instantes,
E, por nós, imensamente, desejado...

A Felicidade
É, momento fugaz
De tranquilidade e Paz!...

A felicidade
É êxtase em sinfonia,
Sentimento exacerbado
Elevado à ataraxia!...
            
Da obra -  Pedaços do meu Coração

quarta-feira, 28 de março de 2012

SONHEI QUE ME APAIXONEI






SONHEI QUE ME APAIXONEI

 Zélia Chamusca



Tive um sonho lindo

Em que me encantei

E me apaixonei

Por um príncipe encantado

Que se tornou meu amado.



Voei pelos campos,

Pelos ares,

Pelos céus,

Num cavalo branco alado

Montada com meu Amado.



E, voei, voei,

Pelos céus da fantasia,

De amor e magia,

Êxtase e alegria.



Sobrevoei

Ares perfumados

De odores variados,

A cravo, rosa, jasmim,

Tulipas e alecrim.

Odores inebriantes

Em, que dois amantes

Se envolviam

Em delirantes

Sonhos de fantasia.

Se abraçavam,

Se acariciavam,

Se beijavam

E deliciavam, extasiadamente,

Na envolvente

Quente

E escaldante,

O amor de cada amante.



Acordei…

Nesta fantasia que sonhei…


Da obra - PARTE DE MIM
         

terça-feira, 27 de março de 2012

MEU SENTIMENTO





MEU SENTIMENTO

Poema de Zélia Chamusca



Meu sentimento

Estava aprisionado

E lentamente,

Gradualmente,

Gota a gota,

Até à consumação

Num jacto,

Em que, inesperadamente,

Se deu uma explosão,

Ele se tornou libertado!...



Agora, libertado

Se expande

E difunde

No todo…



Ultrapassa o limitado

 Factual estado

Imanente,

A particularidade,

Olhando-a como pintura

Naïf, ingénua…

Que embora bela,

Sua clarividente

Postura

Está para além

Duma visão transcendente

Numa universalidade

Na multiplicidade

Do Universo,

Que, em cada meu verso

Transparece – Meu sentimento.


                            




domingo, 25 de março de 2012

BRISA MARITIMA











BRISA MARITIMA



A leve brisa marítima

Que cobre meu corpo

Em doce carícia

De meiguice íntima,

Afaga meu espírito,

Minha alma

E todo o meu ser,

Num enorme prazer,

Em tempo finito…



O Sol ciumento

Disputa a ternura

Que o leve vento

Entoa, em doce candura.



E as ondas do mar

Que revoltas estão,

Pois, querem alegrar

Meu triste coração!...


             
Poema de - CHAMUSCA, Zélia
Da obra - A NOSSA  ANTOLOGIA - Volume XVI
2011/2012
Da  Associação Portuguesa de Poetas

sexta-feira, 23 de março de 2012

MESMO SABENDO QUE NÃO ÉS SÓ MEU…





MESMO SABENDO QUE NÃO ÉS SÓ MEU…

 Zélia Chamusca


Sol, amo teu calor,

Me afago nele,

Me aquece,

Enobrece

E enlouquece

De amor,

Mesmo sabendo que não és só meu…



Por ti

Me deixo acariciar,

Beijar

E abraçar,

Numa envolvente

Quente

E escaldante

De verdadeiro amante,

Mesmo sabendo que não és só meu…



Tua luz me fascina,

Ilumina

E dá cor à minha vida.

És a estrela mais brilhante,

Fascinante,

Com tua luz

Que reluz.

Sou tua eterna amante

Mesmo sabendo que não és só meu…

                     



Poema de Zélia Chamusca

Da obra - A  NOSSA ANTOLOGIA

Da Associação Portuguesa de Poetas