sexta-feira, 24 de fevereiro de 2012

Fatal Ironia









FATAL IRONIA

Poema de Zélia Chamusca



Para onde caminhamos?

Neste caminhar

Para a catástrofe

Lamentável,

Insuportável,

Fatal ironia?!...



Onde iremos parar?!



Paremos neste caminhar

Para pensar

E lutar!...



Não nos deixemos vencer

Neste viver

No mundo dominado

Pelo poder

Desenfreado,

Vestido de cordeiro

No mundo inteiro!…



Lutemos neste mundo

Imundo,

Com a força da razão

Cumprindo nossa missão,

Contra a escravidão!



Não permitamos

Uma nova sociedade

Sem liberdade,

Contra natura,

Impura,

De escravatura,

Em que o Poder

Retira o direito ao Ser

E se apropria

Do que é teu,

E do que é meu…



Vençamos a letargia

Não permitamos

A ironia

Do regresso

Ao desumano processo

Que há muito acabou,

E, de novo, se instalou!



Fatal ironia!...

               

2 comentários:

  1. É necessário lutar contra a exploração, a corrupção e a vigarice. Também os poetas têm a obrigação de as denunciar e apontar caminhos. Essa denúncia ganha mais força ainda se servida pelo talento como é o caso deste seu poema cheio de força e arte. A força da cidadania e a arte de transformar as palavras em lanças certeiras. Parabéns mais uma vez amiga poetisa.

    ResponderEliminar
  2. Querido Amigo,colega de luta e trabalho,Poeta Guilherme Duarte, fico feliz por ter conseguido transmitir a mensagem.
    Muito grata por seu carinho e incentivante comentário.
    Beijinho,
    ZCH

    ResponderEliminar