quarta-feira, 1 de fevereiro de 2012

AMIGO









Gosto de ti porque,
Com o teu romantismo
Pleno de fantasia e imaginação,
Tens os pés
Bem assentes no chão.

Porque,
Com tua sensibilidade
Conténs dentro de ti
Imenso amor
E felicidade,
Para aos outros dar
Com tua singela forma,
Pura e única de amar! 

Porque,
Com tua emoção
Plena de amor e paixão
Sabes pedir perdão. 

Porque
Sabes repartir carinho
Partilhar experiências
De tuas vivências. 

Porque,
Amas a natureza
Em todo o seu esplendor
E beleza
Plena de amor!... 

Porque,
Quando erras te levantas
E sabes teus erros reconhecer
E com eles aprender. 

Gosto de ti porque,
No teu simples gesto
De oferecer uma flor,
Mostras a dimensão
Do teu coração
Tão rico em amor!...
           «»

Da obra - PARTE DE MIM
Zélia chamusca
Edições Vieira da Silva

6 comentários:

  1. Zélia este bonito poema é a prova de que sabe escolher os amigos.

    ResponderEliminar
  2. Olá,Guilherme Duarte,

    Nem sempre... meu amigo.
    Mas prefiro calar e escrever de forma agradável.
    Este poema escrevi, há uns dois anos para uns colegas a quem enviei e nenhum me respondeu...
    E como há pouco me disseram que era o dia da Amizade lembrei-me de postar este poema.
    Beijinho e muita amizade para si,
    ZCH

    ResponderEliminar
  3. Amigo... poema espartilho de tanto sentir num enlace poético de alma e coração no todo do SER...

    Grata em poesia

    ana barbara santo antonio

    ResponderEliminar
  4. Poetisa MUSABABI, grata por seu agradável e incentivante comentário.
    Muita amizade para si,ZCH

    ResponderEliminar
  5. Amo essa forma carinhosa com que consegues te expressar. Fica tudo parecendo tão fácil e amado.
    A foto que de abertura desse teu blog. Reafirmo que ficou excelente.
    Bjsssssssssssss

    ResponderEliminar
  6. Mônica, Querida Poetisa Mônica Pamplona,

    Fácil é, porque escrevo fluentemente o que sinto e sai abruptamente. Penso que não será, por vezes, muito poético mas tento, fundamentalmente, transmitir um pensamento, um sentimento, uma mensagem, e, para mim, só consigo isso com simplicidade de construção de linguagem.

    A foto foi a única que encontrei no meu ficheiro que coubesse aqui.
    É recente e por isso dá-nos a imagem real.
    O fundo é o arco da Rua Augusta e a Praça do Comércio e o rio Tejo.
    Quando vier a Portugal- Lisboa, verá.

    Grata e beijinho,
    ZCH

    ResponderEliminar