quarta-feira, 29 de fevereiro de 2012

O devir é imprevisível

                         
 


O devir
é imprevisível
e no pensamento
não crível,
na imaginação
sem razão,
na fantasia
se esvazia
como nuvem
levada pelo vento...

O devir
é movimento,
transformação
que transcende a razão,
sendo, apenas, ciência
da Transcendência!...
                     




Poema de - Zélia Chamusca
Fonte de imagem - Google


terça-feira, 28 de fevereiro de 2012

SAUDADE …(PART TWO)






SAUDADE …(PART TWO)
                                                                            Poema de Zélia Chamusca




Saudade…



Sentimento de saudade

Do que não tenho,

Do que não vivi

Mas, do que sinto por ti.



De saudade te quero falar

Sem palavras,

Sufocadas,

Engolidas

De sentidas…



De saudade infindável

Que se esgota no ilimitável

Sentir-te em mim,

Num prazer sem fim,

Em corpo, alma e espírito,

Em êxtase infinito

De intensiva vida

Desmedida,

De impetuosidade,

De voluptuosidade…



É indescritível,

Indizível,

Meu sentir.

Quero falar-te

Sem palavras

Em lágrimas sufocadas,

Quentes, secas

E molhadas,

Em meu rosto espalhadas,

E, no calor do meu corpo,

Languidamente, evoladas…





Saudade…

De desejo,

Dum longo e quente beijo,

Terno e escaldante,

Sufocante,

De apaixonado amante…



Saudade…

 
 
 




SAUDADE ... (PART TWO)
                                                                       Poem  by Zelia Chamusca


                                                                                                                     
Longing ...


Feeling of nostalgia
From what I have,
Do not lived
But what I feel for you.


I miss talking to you
Without words,
Suffocated,
Swallowed
Of felt ...



Of endless longing
That depletes the illimitable
Feel you in me,
In an endless pleasure,
In the body, soul and spirit,
In infinite bliss
Of intensive life
Immeasurable,
Of impetuosity,
Voluptuousness of ...



It's indescribable,
Unsayable,
My feel.
I want to talk to you
Wordless
In tears choked,
Hot, dry
And wet
Spread on my face,
And, in the heat of my body,
Languidly, evoladas ...



Longing ...
Of desire,
A long, hot kiss
Suit and scorching,
Stifling,
From passionate lover ...


Longing ...

       

Da obra - PEDAÇOS DO MEU CORAÇÃO
Edições Vieira da Silva                  

segunda-feira, 27 de fevereiro de 2012

REALIDADE OU FICÇÃO?

             

Abro ao mundo
A janela do meu ser
E tiro lá bem do fundo
Meus poemas para oferecer
Que embrulho no aroma mais perfumado
Com um laço bem apertado.

Nesses poemas deixo expressos
Em simples versos:
Meus sonhos, minha fantasia,
Desejos e alegria,
Sentimentos,
De alguns momentos,
Minhas paixões
E também as emoções,
Encantamento,
E sofrimento.


Não sei se é ou não a realidade
Mas, no meu coração é a verdade
Pontuada de fantasia
E cheia de magia.


Não te importes se são realidade ou ficção,
Porque elas só minhas são…
 

São tão reais que as sinto
E transmito, não minto,
São a verdade de meu coração.


Não te importes se são realidade ou ficção,
Porque elas só minhas são…


São meu desejo
São meu querer,
São o meu ser
E o meu ter.
Para mim, verdades são
Que partilho com quem quero,
Mas, que escolho com esmero
A quem abro meu coração.


Não te importes se são realidade ou ficção,
Porque elas só minhas são…




Da obra - PEDAÇOS DO MEU CORAÇÃO
Autor - Zélia Chamusca
Edições - Vieira da Silva

sábado, 25 de fevereiro de 2012

LINGUAGEM POÉTICA




 
É linguagem sublime

Em que a poesia se define

E imprime

Sentimento

À emoção,

À paixão,

Expresso

Em verso,

Surgindo o poema.



É a linguagem do amor

Por excelência.

Está para além

Da fáctica existência.



A poesia

Antecede o poema

Partindo duma ideia ou lema.

É a arte da dialética,

É estética.

O poema eu escrevo

A poesia eu sinto

Na alma,

No corpo,

No coração.

É a emoção

Em todo o meu ser.

Ela me preenche

E me enche

Em plenitude

E realização!...



É a forma mais perfeita

Da comunicação

É de Deus a manifestação,

Em mim,

Quando sinto,

Quando crio,

Quando amo,

Tomando parte

E sendo parte

Na obra da Criação!...

             



Poema de - Zélia Chamusca
Da obra- PEDAÇOS DO MEU CORAÇÃO
Edições Vieira da Silva

sexta-feira, 24 de fevereiro de 2012

Fatal Ironia









FATAL IRONIA

Poema de Zélia Chamusca



Para onde caminhamos?

Neste caminhar

Para a catástrofe

Lamentável,

Insuportável,

Fatal ironia?!...



Onde iremos parar?!



Paremos neste caminhar

Para pensar

E lutar!...



Não nos deixemos vencer

Neste viver

No mundo dominado

Pelo poder

Desenfreado,

Vestido de cordeiro

No mundo inteiro!…



Lutemos neste mundo

Imundo,

Com a força da razão

Cumprindo nossa missão,

Contra a escravidão!



Não permitamos

Uma nova sociedade

Sem liberdade,

Contra natura,

Impura,

De escravatura,

Em que o Poder

Retira o direito ao Ser

E se apropria

Do que é teu,

E do que é meu…



Vençamos a letargia

Não permitamos

A ironia

Do regresso

Ao desumano processo

Que há muito acabou,

E, de novo, se instalou!



Fatal ironia!...

               

quinta-feira, 23 de fevereiro de 2012

Sou planta, sou flor




Sou planta

Que arrancam do solo

Para murchar,

Mas, minhas raízes

Procuram a terra

De novo encontrar.



E se agarram à vida

Para viver,

Para ser

Na Natureza

Parte de sua beleza!…



Sou flor

A que tiram as pétalas

Para secar,

Mas, meus botões

Irão desabrochar

E, de novo

Serei flor,

Serei rosa,

Serei cor,

Serei vida,

Serei amor!...

       






Poema de - CHAMUSCA, Zélia
Fonte de imagem - Google

quarta-feira, 22 de fevereiro de 2012

Perfeito Amor














 
Me aqueces o corpo
E a alma
Com teu calor.

Me abraças,
Me enlaças,
Me beijas
E me acalmas,
Numa envolvente
Quente,
Ardente
De amor
E paixão,
Numa perfeita
União,
Com o melódico
Murmurar
Do mar
De ondas leves
De escuma branca,
Que, tranquilamente,
Docemente,
Se desfazem
E refazem,
Em permanente
Vai e vem,
Num doce embalar
Em que me sinto bem…


Amo-te,
Estrela mais bela,
Tua cor,
Tua luz,
Teu calor,
Verdadeira sinestesia
De perfeito amor,
Gerador,
Criador.


Sem ti, Sol,
Não haveria vida,
Aqui na Terra.
 
És por isso, minha real fantasia,
Minha alegria!...

                    «»

Poema de - CHAMUSCA, Zélia
Imagem de - Guilherme Duarte, Escritor, Poeta e fotografo.